Porto Alegre

20ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 26 de Abril de 2017

  • 14/03/2017
  • 16:45
  • Atualização: 16:49

Célebre perfil de Sinatra escrito por Gay Talese será adaptado para o cinema

Filhas do músico adquiriram os direitos para adaptar o texto "Frank Sinatra has a Cold", publicado na revista Esquire

Texto foi publicado em abril de 1966 | Foto: Esquire / Reprodução / CP

Texto foi publicado em abril de 1966 | Foto: Esquire / Reprodução / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

"Sinatra estava doente. Padecia de uma doença tão comum que a maioria das pessoas a considera banal. Mas quando acontece com Sinatra, ela o mergulha num estado de angústia, de profunda depressão, pânico e até fúria. Frank Sinatra está resfriado". Uma das peças mais celebradas do jornalismo, o texto "Frank Sinatra has a Cold", publicado na edição de abril de 1966 da revista Esquire, virar filme. Os direitos do célebre perfil do cantor norte-americano, escrito por Gay Talese, foram comprados por Nancy e Tina, filhas do músico, conforme relata o site especializado em Hollywood Deadline.

A ideia é que o roteiro seja escrito numa parceria entre o próprio Talese, hoje com 85 anos, e Nicholas Pileggi, jornalista investigador de assuntos relacionados com a Mafia, como "Wiseguy: Life in a Mafia Family" (1986), que ele próprio transformou em "Goodfellas", dirigido por Scorsese. Não há data de previsão de lançamento nem se sera um curta ou um longa, tendo em vista que se trata de um texto de 55 páginas.

Em 1965, Gay Talese assinou contrato de 1 ano com a Esquire, importante revista dos Estados Unidos, com a missão de escrever 6 histórias. Por conta do talente, o editor Harold Hayes logo lhe incumbiu da mais difícil: entrevistar Frank Sinatra, algo que a publicação tentava há anos, sem sucesso. O jornalista então partiu para Los Angeles, onde gastou 3 meses e 5 mil dólares para produzir o que o considerado o melhor perfil sobre "The Voice". O músico se negou a falar com ele, mas isso não impediu Talese de realizar seu trabalho. O repórter falou com todo mundo na órbita do artista, incluindo membros de seu staff de 75 pessoas, e também agiu como detetive, seguindo o astro para analisar seus movimentos.

Com isso, produziu 200 páginas de anotações em mais de 100 entrevistas que renderam a descoberta de que "Frank Sinatra está resfriado", frase que dá nome à peça. O texto é reconhecido pelo minuscioso trabalho de apuração e de pesquisa bibliográfica sobre o personagem retratado. Talese abriu a picada do que mais tarde seria batizado de "novo jornalismo" ou jornalismo literário, um tipo de reportagem que alia um texto de alta qualidade, com descrições precisas, a um olhar que foge aos lugares-comuns.