Porto Alegre

21ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quinta-feira, 19 de Outubro de 2017

  • 16/03/2017
  • 14:56
  • Atualização: 15:58

"A Bela e a Fera" apresenta versão revisitada do clássico infantil

Filme carrega a essência da animação de 1991 combinada a elementos que o tornam atual

Longa estreia nesta quinta nos cinemas | Foto: Disney / Divulgação / CP

Longa estreia nesta quinta nos cinemas | Foto: Disney / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

Com direção de Bill Condon, chega aos cinemas uma nova versão do conto de fadas “A Bela e a Fera”. O longa-metragem que traz Emma Watson, da franquia “Harry Potter”, e Dan Stevens, britânico que atuou na série “Downton Abbey”, como protagonistas é um live action da animação lançada em 1991. É eufemismo dizer que a obra é ansiosamente esperada pelo público: seu trailer foi visto 92 milhões de vezes em um único dia, um recorde. Outra marca batida é a de maior pré-venda de ingressos da história de filmes considerados "para a família".

Moradora de uma pequena aldeia francesa, Bela tem o pai capturado por entrar no domínio do castelo da Fera. Ela decide ir até o local e tentar negociar a liberdade do seu pai, entregando a sua própria vida em troca se necessário. No castelo, ela descobre que o espaço abriga objetos mágicos que conversam com ela. Além disso, a Fera, apesar de sua aparência assustadora a princípio, é capaz de algumas gentilezas e aparenta ter um coração bom. É quando vem a moral da história: Bela vai descobrir que, na verdade, ele é um príncipe que foi vítima de um feitiço e que precisa ser amado para voltar à forma humana.

• Emma Watson diz se identificar muito com a protagonista de "A Bela e a Fera"

O vilão Gastão é vivido por Luke Evans. Seu ajudante, LeFou (Josh Gad), é um personagem gay, o que causou protestos em lugares como o estado do Alabama, dos Estados Unidos. Além disso, a Disney decidiu adiar a estreia de seu novo filme na Malásia depois que as autoridades do país muçulmano do sudeste asiático censuraram "um momento gay". Na Rússia, a produção teve classificação etária para maiores de 16 anos, a pedido do deputado ultraconservador Vitali Milonov, que é contra a "propaganda homossexual".

Com roteiro de Evan Spiliotopoulos, Stephen Chbosky e Bill Condon, a produção traz uma a trilha que musical inclui novas gravações das canções originais compostas por Alan Menken e Howard Ashman, assim como três novos temas compostos por Menken e Tim Rice. De imediato, o que salta aos olhos neste novo "A Bela e a Fera" é a qualidade técnica, com direção de arte, figurino e fotografia em destaque, gerando um mundo fantasioso que mescla beleza e um certo tom sombrio. Os analistas esperam 150 milhões de dólares em receita durante seu fim de semana de estreia.

Assista ao trailer de "A Bela e a Fera":