Porto Alegre

16ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 23 de Julho de 2017

  • 13/07/2017
  • 11:04
  • Atualização: 11:08

Gatos são centro de documentário em Istambul

Diretora Ceyda Torun acompanhou, por meses, felinos que vagam livremente na metrópole turca

Gatos de rua foram acompanhados por equipe de cinema, revelando suas peculiaridades na cidade | Foto: Espaço Filmes / Divulgação / CP

Gatos de rua foram acompanhados por equipe de cinema, revelando suas peculiaridades na cidade | Foto: Espaço Filmes / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

Entra em cartaz, a partir desta quinta-feira, em pré-estreia, o documentário “Gatos” nos cinemas. A diretora Ceyda Torun cresceu em Istambul no início dos anos 80, quando a cidade era o epicentro de um país a um passo da globalização. Naquela época, a população da cidade era de apenas 4 milhões de pessoas; hoje, Istambul cresceu e abriga uma população de quase 20 milhões, expandindo constantemente seus limites.

Além dessa enorme massa de pessoas, outra criatura também é nativa da cidade há milhares de anos: o gato de rua. Com histórias passadas tão variadas quanto a de seus equivalentes humanos, gatos de rua vivenciam a cidade de formas totalmente desconhecidas pelas pessoas. Para eles, a cidade bem poderia se chamar Gatostambul.

Quando estava concebendo a ideia do documentário, o que mais atraiu Ceyda e a sua equipe foi a forma única como os gatos de rua são tratados em Istambul, não tão diferente de como as vacas são tratadas na Índia. Para a população de maioria muçulmana, os gatos têm uma reputação sagrada, de certa forma, sendo mencionados diversas vezes em histórias de sua cultura.

A diretora e o fotógrafo Charlie Wupperman viajaram para Istambul para filmar um pouco das atividades dos gatos, sem saber se era possível captar a essência do que é ser um gato em Istambul. Em conjunto com pesquisadores locais, eles reuniram histórias e buscaram pessoas que pareciam saber muito sobre os gatos de suas vizinhanças: quem é o alfa, quem cuida de quem, que gato rouba do peixeiro, qual tem o hábito de invadir a casa dos vizinhos. As histórias que ouviram os deixaram ainda mais animados para documentar esses animais. Por fim, conseguiram captar singularidades de cada gato retratado e sua interação com a comunidade em que vivem.