Correio do Povo | Notícias | Cidade e os habitantes são foco de exposição

Porto Alegre

23ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quinta-feira, 26 de Abril de 2018

  • 07/02/2018
  • 10:58
  • Atualização: 13:43

Cidade e os habitantes são foco de exposição

Mostra coletiva, com participação de 24 fotógrafos, terá abertura nesta quinta-feira no Margs

Exposição coletiva, com participação de 24 fotógrafos, terá abertura nesta quinta-feira no Margs  | Foto: Manoel Petry / Divulgação / CP

Exposição coletiva, com participação de 24 fotógrafos, terá abertura nesta quinta-feira no Margs | Foto: Manoel Petry / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

Vinte e quatro artistas apresentam a percepção de lugar na exposição coletiva “Fragmentos de uma Cidade”, com abertura, nesta quinta-feira, às 19h, no Margs (Praça da Alfândega, ), com a curadoria de Fábio André Rheinheimer. A mostra representa a última etapa do projeto de investigação proposto pelo curador, em continuidade a duas mostras coletivas realizadas no ano passado.

“Fragmentos de uma Cidade Invisível” tem como foco principal a relação entre os habitantes e o ambiente urbano, na consolidação da ideia de lugar. Foram convidados para o projeto os fotógrafos Manoel Petry, Flávio Wild, Lucca Curtolo, Douglas Fischer, Carlinhos Rodrigues, Iara Tonidandel, Paulo Mello, Karla Santos, Fernando Pires, Fernando Kokubun, Alexandre Eckert, Tárlis Schneider, Ivana Werner, Rafael Karam, Nattan Carvalho, Adela Bálsamo Armando, Juliana Cupini, Lizandra Caon, Luciane Pires Ferreira, Heloisa da Costa Medeiros, Gutemberg Ostemberg, Maris Strege, Leonardo Kerkhoven e Guto Monteiro.

Rheinheimer busca trazer para o debate das ideias questões pertinentes às possibilidades de apropriação e concepção no âmbito da fotografia. Para ele, a proposta também é mostrar a construção de outra realidade urbana ampla em significados, em concordância ao sentido de lugar e segundo os fragmentos de diversos cotidianos citadinos e de suas paisagens, instrumentos imprescindíveis na composição desta cidade fictícia. Além disso, a cidade oferece leituras que passam pela história, memória edificada, pessoas, espaços e desenhos das ruas. Visitação, até 13 de março.