Porto Alegre

26ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 17 de Dezembro de 2017

  • 09/10/2017
  • 14:29
  • Atualização: 15:06

Justiça suíça examinará novas acusações de estupro contra Polanski

Renate Langer é a quarta mulher a acusar o cineasta de agressão sexual

A Justiça terá de determinar se os atos mencionados não prescreveram | Foto: Janek Skarzynski / AFP / Getty Images / CP

A Justiça terá de determinar se os atos mencionados não prescreveram | Foto: Janek Skarzynski / AFP / Getty Images / CP

  • Comentários
  • AFP

A Justiça suíça anunciou, nesta segunda-feira, que examinará as novas acusações de assédio sexual apresentadas contra Roman Polanski por uma mulher que garante ter sido violentada pelo diretor franco-polonês na localidade suíça de Gstaad (leste), em 1972. "O escritório do procurador do cantão de Berna confirmou hoje (segunda-feira) a competência local (...) para a gestão" do caso, disse o porta-voz do procurador de Berna, Christof Scheurer, em uma mensagem.

A Justiça terá de determinar se os atos mencionados por Renate Langer, ex-atriz e modelo nascida em Munique, não prescreveram. Hoje com 61 anos, Renate apresentou sua denúncia em 26 de setembro à Polícia suíça, garantindo que foi violentada na estação alpina de Gstaad, no cantão de Berna, por Polanski quando tinha 15 anos. Ela é a quarta mulher a acusar o cineasta, de 84, de agressão sexual.

Em 1977, Polanski admitiu ter tido relação sexual com Samantha Geimer, na época com 13 anos, na casa de Jack Nicholson em Los Angeles. O ator estava viajando. Em troca da confissão, o juiz aceitou não manter acusações mais graves contra o diretor. Convencido, porém, de que o magistrado recuaria em sua promessa e acabaria condenando-o a várias décadas de prisão, o cineasta fugiu para a França.

Ganhador de um Oscar por "O Pianista" e casado com a atriz francesa Emmanuelle Seigner, com quem teve dois filhos, o diretor sempre se recusou a voltar para os Estados Unidos sem ter garantias de que não seria preso. Em 2010, a atriz britânica Charlotte Lewis declarou que foi forçada pelo diretor a ter relação sexual, ainda adolescente, com 16 anos. Em agosto, outra mulher, identificada como "Robin", acusou Polanski de agressão sexual também aos 16 anos de idade, em 1973.

Atraída pela possibilidade de participar de um "casting" quando era modelo, Renate Langer teria visitado o diretor de "O bebê de Rosemary", em Gstaad e, lá, teria sido violentada. Ela diz ter saído do silêncio depois de tanto tempo estimulada pelas declarações de "Robin" em agosto passado e porque seus pais já faleceram.