Porto Alegre

18ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Novembro de 2017

  • 09/11/2017
  • 10:48
  • Atualização: 11:01

Mariah Carey é acusada de assédio moral e sexual por ex-segurança

Segundo depoimento, homem foi humilhado constantemente pela cantora

Segundo depoimento, homem foi humilhado constantemente pela cantora | Foto: Neilson Barnard / Getty Images North America / AFP / CP

Segundo depoimento, homem foi humilhado constantemente pela cantora | Foto: Neilson Barnard / Getty Images North America / AFP / CP

  • Comentários
  • AE

O dono da antiga empresa de segurança de Mariah Carey ameaça processá-la por humilhá-lo constantemente, não pagar pelos serviços prestados e assediá-lo, informa o TMZ.

 

Michael Anello alega que Mariah referia-se a ele como nazista, skinhead, membro do Ku Klux Klan (sociedade formada nos Estados Unidos que pregava ideias extremistas e reacionárias) e supremacista branco. Ele afirma que a cantora "queria estar cercada de pessoas negras, não brancas".

 

O advogado dele preparou um rascunho de ação judicial no qual que afirma que a empresa trabalhou para a cantora de junho de 2015 a maio de 2017 e não recebeu o valor de mais de US$ 221 mil (pouco mais de R$ 719 mil). O dono da empresa diz ainda que prometeu mais dois anos de serviço, o que acrescentaria US$ 511 mil (mais de R$ 1,6 milhão) à conta.

 

A ação judicial alega ainda assédio sexual e afirma que a cantora cometeu "atos sexuais com a intenção de que fossem vistos por Anello". O homem conta que, durante uma viagem para Cabo San Lucas, no México, Mariah o chamou até o quarto dela para arrumar algumas bagagens.

 

Quando chegou lá, ela estava vestindo um robe transparente aberto. Ele diz que tentou sair, mas ela insistiu para que ele a ajudasse. Anello afirma que saiu do quarto e não houve contato físico. Pessoas próximas à cantora disseram ao TMZ que estavam em contato com o advogado de Anello na segunda-feira, e que concordaram em pagar algumas

contas, mas o homem não estaria satisfeito com o valor. Elas dizem não saber sobre o caso de assédio.

 

O advogado de Anello diz que o processo está suspenso por enquanto, possivelmente porque as partes estão em negociações para quitar as dívidas.