Porto Alegre

17ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Novembro de 2017

  • 09/11/2017
  • 16:51
  • Atualização: 17:37

Portia de Rossi relata assédio de Steven Seagal em teste para filme

Atriz contou que produtor desabotoou calça após falar "o quão importante era ter química fora da tela"

Segundo Portia, o incidente aconteceu no escritório de Seagal | Foto: Instagram / Divulgação / CP

Segundo Portia, o incidente aconteceu no escritório de Seagal | Foto: Instagram / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Variedades

Portia De Rossi acusou o ator e produtor Steven Seagal de assediá-la sexualmente durante um teste para um de seus longas. As alegações, que foram compartilhadas pela atriz de “Arrested Development” no Twitter, seguem reivindicações semelhantes de má conduta feitas contra ele por outras mulheres. "Minha audição final para um filme de Steven Segal ocorreu em seu escritório. Ele me contou o quão importante era ter química fora da tela enquanto ele mandou em em sentar e desabotoava suas calças de couro", escreveu.

"Eu corri para fora e liguei para a minha agente. Sem aturdir, ela respondeu: ‘Bem, eu não sabia se ele era seu tipo’", acrescentou. Após o incidente, a esposa de Portia, a apresentadora Ellen De Generes, disse que estava "orgulhosa".

As alegações de Portia surgem dias após outra atriz, Julianna Margulies, contar à repórter Jenny Hutt, da SiriusXM, um caso que ocorreu quando ela tinha 23 anos. Na ocasião, e estrela de “The Good Wife”, estava num hotel de Nova York onde estava marcado um teste de elenco. Ao chegar no quarto onde supostamente estaria uma diretora de elenco, ela se deparou com Seagal sozinho. "Eu vi sua arma; Nunca vi uma arma na vida real. Saí de lá indemne ... Não sei como saí daquele quarto de hotel. Eu sorta gritou meu caminho para fora ", afirmou.

Uma situação semelhante foi relatada por Rae Dawn Chong, que disse ao site The Wrap que a Seagal usou apenas um roupão para uma audição na década de 1980 e, mais tarde, tirou a roupa. Ela ainda afirma que, durante vários anos após o incidente, o homem deixaria "mensagens sexuais" em sua secretária eletrônica. O produtor não respondeu a nenhuma dessas reivindicações.