Porto Alegre

21ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

  • 27/11/2017
  • 01:17
  • Atualização: 02:12

Sul-africana é coroada Miss Universo 2017

Demi-Leigh Nel-Peters desbancou 91 candidatas e se tornou a segunda mulher do seu país a vencer a competição

Demi-Leigh Nel-Peters é a nova Miss Universo | Foto: Frazer Harrison / Getty Images North America / AFP / CP

Demi-Leigh Nel-Peters é a nova Miss Universo | Foto: Frazer Harrison / Getty Images North America / AFP / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

A sul-africana Demi-Leigh Nel-Peters foi eleita, na madrugada desta segunda-feira, a Miss Universo 2017. Com o título, a modelo de 22 anos se tornou a segunda representante de seu país a vencer o concurso - a primeira foi Margaret Gardiner, em 1978. Apontada desde o início da competição como uma das favoritas, Demi-Leigh recebeu a coroa das mãos da francesa Iris Mittenaere.  A colombiana Laura Gonzalez ficou com o segundo lugar e a jamaicana Davina Bennett, com o terceiro. A brasileira Monalysa Alcantâra ficou entre o Top 10.

Para conquistar o título, Demi-Leigh Nel-Peters desbancou 91 candidatas na grande final em Las Vegas, nos Estados Unidos. A cerimônia foi comandada pelo comediante Steve Harvey, que começou a noite brincando com o erro que cometeu na primeira vez em que apresentou o evento, quando se equivocou ao anunciar a Miss Colômbia Ariadna Gutiérrez como vencedora e teve que voltar atrás para entregar o prêmio de Miss Universo 2015 para Pia Wurtzbach, das Filipinas.

Com número recorde de candidatas, o Miss Universo 2017 teve um novo formato. As 92 misses se apresentaram inicialmente divididas em três grupos geográficos: Américas, Europa e África, Ásia e Oceania. Do número total, restaram apenas 16 concorrentes – quatro de cada grupo geográfico e quatro escolhidas independentemente dos grupos.

Pela ordem de anúncio, o Top 16 foi formado por Tailândia, Sri Lanka, Gana, África do Sul, Espanha, Irlanda, Croácia, Grã-Bretanha, Colômbia, Estados Unidos, Brasil, Canadá, Filipinas, Venezuela, Jamaica e China. As classificadas, então, realizaram o tradicional desfile de traje de banho, que eliminou seis delas. 

No Top 10, ficaram as misses Venezuela, Estados Unidos, Filipinas, Canadá, África do Sul, Espanha, Brasil, Colômbia, Tailândia e Jamaica. Nesta etapa, elas subiram ao palco de vestidos de gala e percorreram a passarela ao som da cantora Fergie.

Após chamar a atenção em sua performance de biquíni e se apresentar com uma vestido de gala vermelho, a piauiense Monalysa Alcântara, de 18 anos, despediu-se da competição nesta fase. Para o Top 5, continuaram na busca pelo título apenas as representantes de África do Sul, Venezuela, Tailândia, Jamaica e Colômbia. O concurso chegou ao momento das perguntas - que abordaram temas como efeitos das redes sociais para medir impacto da beleza, terrorismo e assédio sexual – e determinou suas três finalistas: Jamaica, Colômbia e África do Sul.

As três, então, responderam sobre qual qualidade tinham mais orgulho de ter e como aplicariam essa qualidade em seu reinado como Miss Universo – mas enquanto uma era questionada, as demais ficavam de fone de ouvido para não terem mais tempo de se preparar.  Com muita desenvoltura, a vencedora da noite destacou a confiança como sua grande qualidade. “Como Miss Universo, temos que ter confiança de quem somos. E como Miss Universo tive que superar meus medos e a Miss Universo pode ajudar os outros a superar seus medos”, falou Demi-Leigh, instantes antes de consagrar-se a Miss Universo 2017.