Porto Alegre

15ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 19 de Novembro de 2017

  • 03/03/2017
  • 16:33
  • Atualização: 11:00

Banksy inaugura hotel com “a pior vista do mundo”: o muro da Cisjordânia

Artista inglês quer conscientizar população contra a ocupação dos territórios palestinos

O artista criou sua

O artista criou sua "instalação" no interior de um edifício residencial vazio situado a poucos metros do muro | Foto: Thomas Coex / AFP / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

* Com informações da AFP

Banksy, o veterano artista britânico anônimo cujas obras denunciam os excessos da política e da sociedade pós-moderna, voltou aos holofotes com a abertura de um hotel num local inusitado. Ele inaugurou o "The Walled Off Hotel", empreendimento com “a pior vista do mundo”: o muro da Cisjordânia, em Belém. A famosa construção é uma das materializações mais emblemáticas do conflito entre israelenses e palestinos. “É uma cura de três andares para o fanatismo, com lugares de estacionamento limitado", explicou ao jornal The Guardian, adicionando que a iniciativa visa criar emprego, chamar turistas a um espaço onde eles não ficam e servir como galeria de exposições

O nome do empreendimento é uma referência à ideia de estar emparedado ou amuralhado, mas também um aproveitamento da quase homofonia com o nome de uma famosa cadeia de hotéis de luxo, a Waldorf. O artista criou sua "instalação" no interior de um edifício residencial vazio situado a poucos metros do muro. Dos nove quartos, sete foram decorados por ele, e os outros dois por artistas canadenses e palestinos. Em uma parede, sobre uma cama, um soldado israelense e um manifestante palestino se confrontam em uma guerra de travesseiros. Na suíte presidencial, uma jacuzzi é alimentada por um tanque de água similar aos que os palestinos usamem suas casas.

O elevador não funciona - está emparedado com tijolos -, a torre da banheira da suite presidencial tem buracos que parecem de balas e os bustos estão com lenços na boca, ao passo em que latas de gás soltam fumaça. O diretor do hotel, Wissam Salsaa, afirma que não se trata apenas de um projeto artístico, senão de um hotel verdadeiro com quartos para hospedagem que poderão ser reservados em março, a partir de 30 dólares a noite. Para aqueles que não quiserem se hospedar, haverá um serviço de chás e os corredores funcionam como uma galeria para exposiçaõ de peças originais de Banksy.

“Passaram-se exatamente cem anos desde que a Grã-Bretanha tomou conta da Palestina e começou a reorganizar a vida local”, disse o anônimo street artist ao jornal inglês Telegraph. “Não sei por que mas parece uma boa altura para refletir sobre o que acontece quando o Reino Unido toma uma gigantesca decisão política sem perceber completamente as consequências”, ironizou, referindo-se ao “Brexit” votado no ano passado.

Israel começou a construir o muro de separação em 2002 para se proteger em meio a uma onda de atentados palestinos durante a segunda Intifada. O muro, que avança sobre a Cisjordânia, é o símbolo da ocupação israelense mais detestado pelos palestinos. Em 2015, o artista entrou em segredo na Faixa de Gaza para pintar três obras no local, devastado um ano antes por uma guerra entre o movimento palestino Hamas e Israel, a terceira em seis anos.

Confira algumas fotos do hotel: