Porto Alegre

20ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 20 de Abril de 2018

  • 12/04/2018
  • 17:12
  • Atualização: 18:06

Defesa de Cosby ataca credibilidade de ex-modelo que denuncia estupro

Janice Dickinson contou ao júri sobre caso ocorrido há 36 anos

A modelo Janice Dickinson, de 63 anos, no tribunal do condando de Montgomery, em Norristown | Foto: Mark Makela / Pool / AFP / CP

A modelo Janice Dickinson, de 63 anos, no tribunal do condando de Montgomery, em Norristown | Foto: Mark Makela / Pool / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

O advogado de defesa de Bill Cosby atacou ferozmente nesta quinta-feira a credibilidade da ex-modelo Janice Dickinson, que contou ao júri que o popular ator a estuprou há 36 anos em um hotel da Califórnia após lhe dar um comprimido azul que a deixou grogue e enjoada. O artista, de 80 anos, pode passar o resto da vida atrás das grades se for considerado culpado por drogar e agredir sexualmente a ex-funcionária universitária Andrea Constand, hoje com 44 anos, em sua casa na Filadélfia em 2004.

• Bill Cosby enfrenta novo julgamento por agressão sexual

A permissão do juiz para que outras cinco mulheres que acusam o ator de agressão sexual prestem depoimento em seu processo é o maior desafio para a defesa. Dickinson é a quarta acusadora a testemunhar ante o júri. Ela contou como, em 1982, enquanto estava em Bali trabalhando como modelo, Cosby lhe enviou uma passagem de avião para se encontrar com ela em Lake Tahoe, na Califórnia.

• Defesa de Bill Cosby chama acusadora de "vigarista"

Dickinson disse que aceitou porque sonhava com uma carreira de atriz e achou que Cosby, a quem apenas conhecia, poderia ajudá-la. Conforme seu relato, ele a esperou no hotel com roupas novas de inverno e jantaram tomando vinho. Quando Dickinson se queixou de cólicas, ele lhe deu um comprimido azul que a deixou completamente aturdida.

Ela também contou que depois Cosby a estuprou e deixou "muito, muito dolorida", "em choque e humilhada". "Subiu em cima de mim e seu roupão se abriu. Lembro que sentia o cheiro de cigarros, café expresso e do seu corpo", falou Dickinson. "Pensava 'o que diabos está fazendo?' Não consenti isso. Não havia dito que sim". "Perdi a consciência depois que ele me penetrou. Foi asqueroso", revelou ao júri a ex-modelo, hoje mãe e avó de 63 anos. "Acordei no dia seguinte no meu quarto. Não sabia onde estava" e "vi sêmen entre as minhas pernas e sentia dor no ânus", completou.

O advogado de Cosby, Tom Mesereau, famoso por conseguir a absolvição de Michael Jackson por abuso sexual de um menor de idade, afirma que as acusadoras são vigaristas mesquinhas que só querem o dinheiro do ator. O primeiro julgamento contra o artista, um pioneiro que derrubou as barreiras raciais na televisão e foi o primeiro afro-americano a vencer um Emmy em 1996, foi anulado em junho porque o júri não chegou a um veredicto unânime. As denúncias por agressão sexual mancharam o legado do ator de comédia adorado por milhões de pessoas por sua interpretação de Cliff Huxtable, um ginecologista e carinhoso pai de família na série de televisão "The Cosby Show".