Porto Alegre

21ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

  • 19/11/2017
  • 18:44
  • Atualização: 20:01

Feira do Livro registra queda de 14% nas vendas em relação a 2016

Público na Praça da Alfândega se manteve em 1,4 milhões de pessoas nos 19 dias

Público na Praça da Alfândega se manteve em 1,4 milhões de pessoas nos 19 dias | Foto: Fabiano do Amaral

Público na Praça da Alfândega se manteve em 1,4 milhões de pessoas nos 19 dias | Foto: Fabiano do Amaral

  • Comentários
  • Correio do Povo e Rádio Guaíba

*Com informações de Luiz Gonzaga Lopes e Daiane Vivatti

Por mais paradoxal que pareça, a 63ª Feira do Livro de Porto Alegre, que termina na noite deste domingo, com o cortejo da patrona Valesca de Assis, equipe da Feira, livreiros, editores e leitores, teve muito a comemorar apesar dos 14% de queda nas vendas de exemplares comercializados (os números não foram revelados). Conforme o presidente da Câmara Rio-Grandense do Livro, Marco Cena Lopes, há muito que se comemorar a ampliação histórica da discussão e diversidade étnica, de gênero, de ideologia. Cerca de 1,4 milhão de pessoas visitaram o evento durante os 19 dias de Feira. 

“As pessoas estavam à vontade na Feira. Ressalto a intensa participação dos negros, jovens, mulheres e eventos como o Encontro de Escritores Negros, sarau com o Sérgio Vaz, competição de Slam, a presença do Nobel nigeriano Wole Soyinka”, disse Cena.

A coordenadora da área Geral e Adulto Jussara Haubert Rodrigues, destacou o crescimento da presença do público nas atividades: 19.168 pessoas em 331 eventos, com 665 participantes (em 2016, foram 17 mil). “Foi acessível em todos os sentidos. Os debates foram respeitosos. Não houve intolerância. Todos os pensamentos e palavras foram aceitos e debatidos”, destacou, lembrando a empatia e encantamento da delegação nórdica, com 11 escritores, quatro embaixadores e um ministro.

A coordenadora Infantil e Juvenil, Sônia Zanchetta, lembrou da queda de 22% na participação de alunos de escolas, mas elencou pontos positivos como 185 sessões de contação de histórias no QG dos Pitocos, 11 seminários e encontros e novas tecnologias no Espaço do Conhecimento. Com um enfoque na diversidade étnica e de orientação sexual, a programação para público adulto promoveu 331 eventos para um público de 19.168 pessoas com 665 participantes (escritores, palestrantes, convidados e mediadores).

Foram realizadas 739 sessões de autógrafos, entre obras individuais e coletivas. A sessão de autógrafos mais concorrida foi a de Monja Coen, no dia 11 de novembro. Foram realizadas 25 oficinas, para um público de 457 pessoas.

Países Nórdicos

A região homenageada contribuiu com uma delegação de 11 nomes da Finlândia, Suécia, Noruega, Dinamarca e Islândia, além de chefes de estado e embaixadores. 

Estrutura

A 63ª Feira do Livro de Porto Alegre contou com 91 expositores na Área Geral, 13 na Área Infantil e Juvenil, 5 na Área Internacional – além do estande da região homenageada, formada pelos Países Nórdicos. O evento teve uma área total de 7 mil metros quadrados, sendo 5 mil metros quadrados de área coberta. Foram realizados em torno de 20.500 atendimentos ao público pelo Balcão de Informações da Feira nos 19 dias de evento.

Área Infantil e Juvenil

Participaram dos encontros com autores, na Feira, 331 turmas de escolas de 23 municípios gaúchos e dois de Santa Catarina, com um total de 9.015 alunos, sem contar o público espontâneo. Foram realizadas 631 atividades para público infantil e juvenil; incluindo 62 encontros com autores; 185 sessões de contação de histórias; 32 sessões de autógrafos e apresentações artísticas de escolas; 54 mesas-redondas, saraus, oficinas e atividades promovidas por editoras e entidades parceiras, e muitas outras.