Porto Alegre

23ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

  • 29/11/2017
  • 12:43
  • Atualização: 13:07

Portuguesa Ana Teresa Pereira vence Prêmio Oceanos de Literatura

Escritora conquistou premiação com o romance "Karen"

Portuguesa Ana Teresa Pereira vence Prêmio Oceanos de Literatura | Foto: Divulgação / CP

Portuguesa Ana Teresa Pereira vence Prêmio Oceanos de Literatura | Foto: Divulgação / CP

  • Comentários
  • Luiz Gonzaga Lopes

O Itaú Cultural e o Prêmio Oceanos anunciaram, no final da manhã desta quarta-feira, em São Paulo, os quatro vencedores do Oceanos – Prêmio de Literatura em Língua Portuguesa. Na mesa com a presença do diretor do Itaú Cultural Eduardo Saron, do cônsul de Portugal em SP, Paulo Lourenço, e dos curadores Ana Souza Dias, Selma Caetano e Manuel da Costa Pinto foi revelado o nome da autora portuguesa Ana Teresa Pereira como vencedora, com o livro "Karen", que trata de duplos, mistério e vidas imaginárias da protagonista.

Após a divulgação, foi realizada uma conversa sobre os vencedores pelos membros do júri Oceanos 2017, que também fizeram um balanço sobre esta edição. Para encerrar o encontro, houve uma conversa virtual com a vencedora, que receberá o prêmio de 100 mil reais. Os demais vencedores foram Silviano Santiago com "Machado", e o português Hélder Moura Pereira com "Golpe de Teatro"; recebendo respectivamente os prêmios de 60 e 40 mil reais. A premiação de quarto lugar, 30 mil reais, será dividida entre Bernardo Carvalho com "Simpatia pelo Demônio" e Maria Teresa Horta com "Anunciações".

Dos 10 finalistas, dois foram livros de poesia, dois de contos e seis romances de seis autores brasileiros e quatro portugueses. Os finalistas foram escolhidos a partir de uma lista de 51 semifinalistas. Mais detalhes pelo site.  

O Oceanos é realizado em parceria com o Itaú Cultural, que desenvolve a governança do prêmio e a tecnologia que permite que os livros circulem digitalmente entre curadores e jurados. Já o Itaú Unibanco participa como patrocinador ao lado da CPFL Energia, do Instituto CPFL e do governo de Portugal, por meio do Fundo de Fomento Cultural Português. A curadoria desta edição está a cargo da jornalista portuguesa Ana Sousa Dias e dos brasileiros Manuel da Costa Pinto e Selma Caetano.

Neste ano, a premiação passou a contemplar obras publicadas em todos os países lusófonos, atingindo a cifra histórica de 1.215 livros inscritos em sua primeira fase – todos eles com primeira edição em 2016. As obras foram avaliadas por 50 jurados brasileiros e 15 portugueses, que também elegeram entre seus membros os dez integrantes dos Júris Intermediário e Final. Das 51 obras classificadas para a etapa intermediária do prêmio, 31 eram de autores brasileiros, 19 de escritores portugueses e uma de autor angolano. Dos 19 livros portugueses, nenhum havia sido publicado no Brasil e 11 autores ainda não foram publicados aqui.

Saiba mais sobre os quatro vencedores :

Vencedora:

Ana Teresa Pereira nasceu no Funchal, Ilha da Madeira, em 1958, onde vive. Publicou o primeiro livro em 1989, "Matar a imagem", e desde então publica regularmente. Entre suas obras estão "Se nos encontrarmos de novo" (prêmio PEN Clube na categoria Ficção), "A Neve", "A Outra", "O Lago" (Grande Prêmio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores), "A casa das sombras", "As velas da noite", "Neverness", "As noites secretas" e "As longas tardes de chuva de Nova Orleãs", entre outras. Nunca publicada no Brasil.

Obra vencedora: Karen (romance).

Segundo Lugar:

Silviano Santiago nasceu em 1936, em Formiga, Minas Gerais, e vive no Rio de Janeiro. É o romancista de "Mil rosas roubadas", vencedor do prêmio Oceanos em 2015. Sua vasta obra inclui romances, contos, ensaios literários e culturais. Doutor em letras pela Sorbonne, começou a carreira lecionando nas melhores universidades norte-americanas. Transferiu-se posteriormente para a PUC-Rio e é, hoje, professor emérito da Universidade Federal Fluminense.

Obra vencedora: "Machado" (romance)

Terceiro lugar:

Helder Moura Pereira nasceu em Setúbal em 1949. Poeta e professor, é tradutor de Ernest Hemingway, Jorge Luis Borges, Sylvia Plath, Charles and Mary Lamb, Sade e Guy Debord. Ingressou no Ministério da Educação em 1986, em funções técnicas na área da educação de adultos e no Estabelecimento Prisional de Lisboa. Autor de premiado trabalho poético, entre seus livros estão "Pela parte que me toca", "Segredos do reino animal", "Mútuo consentimento", "Um raio de sol", "Se as coisas não fossem o que são", "Em cima do acontecimento" e "A pensar morreu um burro e outras histórias".

Obra vencedora: "Golpe de teatro" (poesia)

Quarto lugar

Maria Teresa Horta nasceu em Lisboa em1937. Poeta, ficcionista, jornalista e ativista dos direitos femininos, travou intenso combate pelas mulheres portuguesas. Com uma obra vasta nos campos da poesia e da ficção, marcou decisivamente as gerações de 60 e 70 em Portugal. A liberdade, a desobediência e a luta contra os estereótipos são temas presentes na obra da poetisa que chocou a sua geração e a opinião pública com uma poesia erótica e ousada, na qual se destacam "Novas Cartas Portuguesas" (em colaboração com Maria Velho da Costa e Isabel Barreno) e "Minha Senhora de Mim", além de vários livros de ficção.

Obra vencedora: "Anunciações" (poesia)

Bernardo Carvalho nasceu no Rio de Janeiro em 1960. Estreou com a coletânea de contos "Aberração" e desde então publicou mais de dez romances, traduzidos para diversos idiomas. Entre suas obras estão "Nove noites" (que dividiu com "Pico na veia", de Dalton Trevisan, o primeiro lugar no Prêmio Portugal Telecom de 2003), "Medo de Sade", "Mongólia", "O Sol se Põe em São Paulo" (terceiro lugar no Prêmio Portugal Telecom de 2008), "O Filho da Mãe" e "Reprodução", todos publicados em Portugal.

Obra vencedora: "Simpatia pelo demônio" (romance)