Porto Alegre

17ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 22 de Outubro de 2017

  • 06/10/2017
  • 17:57
  • Atualização: 18:22

Artistas latinos se unem para ajudar Porto Rico após furacão

Grupo reunido por Lin-Manuel Miranda gravou canção "Almost Like Praying"

Criador do musical

Criador do musical "Hamilton", Lin-Manuel Miranda, reuniu cantores latinos famosos | Foto: Tibrina Hobson / Getty Images / Divulgação / CP

  • Comentários
  • AFP

O criador do musical "Hamilton", Lin-Manuel Miranda, reuniu nesta sexta-feira um grupo de cantores latinos famosos, como Luis Fonsi, do hit "Despacito", na gravação de uma música bilíngue para arrecadar fundos para Porto Rico, território associado dos Estados Unidos devastado pelo furacão Maria. Com ritmo dançante, "Almost Like Praying" menciona nos seus três minutos e meio de duração os 78 países do Caribe, onde o furacão Maria destruiu, entre outras coisas, as redes elétrica e de telecomunicações.

Miranda, cujo musical "Hamilton" foi uma dos maiores sucessos da Broadway nos tempos atuais, declarou que os fundos arrecadados pela canção serão destinados à Federação Hispânica, que se esforça para ajudar os cidadãos de Porto Rico.  Jennifer López, que assim como Miranda é uma nova-iorquina de origem latina, e se mostrou interessada em ajudar as vítimas do furacão, é uma das participantes da gravação.

A música também marca um raro retorno de Gloria Estefan aos estúdios, artista cubana-americana que contribuiu na inserção do pop latino ao gosto musical dos americanos, por meio da sua banda Miami Sound Machine.  Outros cantores, como o rapper Fat Joe e Marc Anthony, marido de Jennifer López, também participaram da gravação.

O refrão de "Almost Like Praying" faz alusão a uma frase de "María" de "West Side Story", a memorável montagem da Broadway do clássico "Romeo e Julieta" que dramatiza a experiência porto riquenha em Nova Iorque, protagonizada pela falecida atriz Natalie Wood.  O artista lançou a canção nesta sexta-feira, durante o programa "Today", do canal americano NBC, e declarou ser "improcedente" que um presidente, referindo-se ao americano Donald Trump, "ataque as vítimas de uma catástrofe natural".