Porto Alegre

19ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 22 de Novembro de 2017

  • 13/11/2017
  • 14:23
  • Atualização: 15:40

Show com participação do Eagles of Death Metal marca dois anos do atentado em Paris

Vocalista Jesse Hughes e guitarrista Dave Catching foram atrações surpresa em evento próximo ao Bataclan

Eles tocaram em evento organizado por sobreviventes do ataque | Foto: Philippe Wojazer / POOL / AFP / CP

Eles tocaram em evento organizado por sobreviventes do ataque | Foto: Philippe Wojazer / POOL / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

Dois membros do Eagles of Death Metal, a banda de rock dos Estados Unidos que estava no palco do Bataclan durante o atentado terrorista de Paris, realizaram um breve concerto nas proximidades do local nesta segunda-feira para marcar os dois anos do massacre. O vocalista Jesse Hughes e o guitarrista Dave Catching foram convidados surpresa em um evento no leste da capital francesa organizado por sobreviventes do ataque, em que 90 pessoas morreram depois que homens armados jihadistas entraram na sala de concertos e abriram fogo.

A dupla cantou duas músicas antes de entregar rosas brancas para a multidão reunida fora da prefeitura do 11º distrito, a uma curta caminhada da casa de shows, onde o presidente francês, Emmanuel Macron, liderou uma cerimônia para lembrar as vítimas. Hughes, altamente emotivo, jogou beijos para o público antes de se lançar em "Save a Prayer", a música que a banda tocou antes do início do tiroteio.

"É difícil não lembrar as pessoas que foram tiradas de nós como nosso amigo Nick Alexander (gerente de mercadoria da banda) e tantos outros", disse Hughes a jornalistas. "Nós assistimos às pessoas darem a vida por seus amigos e fomos capazes de testemunhar isso, e agora temos um ônus de responsabilidade para garantir que todos saibam que esse tipo de amor existe neste mundo", acrescentou.

O cantor foi afastado do Bataclan quando reabriu no ano passado por sugerir que os guardas de segurança estavam envolvidos na carnificina. Embora ele tenha se desculpado por seus comentários, o codiretor do local, Jules Frutos, disse que a equipe salvou vidas durante o banho de sangue. "Há coisas que você não pode perdoar", disse. O Eagles of Death Metal inicialmente desfrutou de ampla simpatia na sequência dos ataques. Mas as provocativas observações de Hughes levaram dois importantes festivais franceses a cancelar as aparências da banda no verão de 2016.