Porto Alegre

14ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de Novembro de 2017

  • 12/08/2017
  • 10:43
  • Atualização: 10:48

Slow Fashion é alternativa de moda consciente e sustentável

Movimento incorpora cuidados com o meio ambiente e a responsabilidade social

Insecta Shoes produz modelos para adultos e a Ararajuba fabrica sapatos infantis com material reaproveitável | Foto: Elaine Nardes / Divulgação / CP

Insecta Shoes produz modelos para adultos e a Ararajuba fabrica sapatos infantis com material reaproveitável | Foto: Elaine Nardes / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Lou Cardoso

Para fugir do corriqueiro Fast Fashion que tão fácil nos rodeia, a nova alternativa para quem gosta de moda original e consciente é o Slow Fashion, um movimento que vai de contrapartida à grande produção em massa e consumo desenfreado que as grandes redes proporcionam. O termo foi criado pela inglesa Kate Fletcher, consultora e professora de design sustentável do britânico Centre for Sustainable Fashion e inspirado também em outro movimento: o Slow Food.

Assim como nossa relação com a nossa alimentação, o Slow Fashion incentiva que tenhamos mais consciência das roupas que usamos e da forma como são feitas, incorporando os cuidados com o meio ambiente e a responsabilidade social. Além de estimular o comércio independente e o consumo mais ético. A proposta segue a linha de desenvolver um estilo próprio com mais personalidade e autoral, podendo também trabalhar fazendo a diferença no mundo de forma mais criativa e inovadora.

O conceito está ganhando força e sendo cada vez mais adotado tanto pelos consumidores como pelos produtores de moda consciente em suas diversas áreas. No Rio Grande do Sul, pode-se encontrar várias marcas que trabalham com este estilo, assim como com diversos públicos. No setor do vestuário, algumas das linhas gaúchas que desenvolvem produtos com esse conceito são a Céu Handmade, Shieldmaiden e a Sueka.

Para os nossos pés, a Insecta Shoes produz modelos para adultos e a Ararajuba fabrica sapatos infantis com material reaproveitável. Os Pets também não ficaram de fora da moda com a Be More Dog que atualmente presta serviços de branding para outras marcas que defendem a sustentabilidade, mas já criou roupinhas fofas que hoje aquecem os cães da ONG Patas Dadas. A PP Acessórios também monta bolsas e acessórios com excedentes da indústria calçadista. A Dani Braghini Design criou uma linha de almofadas e nécessaires 100% em sintonia com a natureza.