Porto Alegre

26ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 17 de Dezembro de 2017

  • 17/09/2017
  • 20:23
  • Atualização: 20:32

Montagem mineira foca na palavra e atuação

Grupo Espanca! apresenta “O Líquido Tátil”, de terça até quinta, na Casa de Cultura Mario Quintana

Grupo Espanca! apresenta “O Líquido Tátil”, de terça até quinta, na Casa de Cultura Mario Quintana | Foto: Guto Muniz / Divulgação / CP

Grupo Espanca! apresenta “O Líquido Tátil”, de terça até quinta, na Casa de Cultura Mario Quintana | Foto: Guto Muniz / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

Resultante de um mergulho na obra do diretor e dramaturgo argentino Daniel Veronese, um dos nomes mais reverenciados do teatro contemporâneo, “O Líquido Tátil” é atração do Porto Alegre em Cena. Com Grace Passô, Gustavo Bones e Marcelo Castro, está na Sala Carlos Carvalho, da Casa de Cultura Mario Quintana, (Andradas, 736), de terça até quinta, sempre às 18h.

Criado em 2004 em Belo Horizonte e patrocinado pela Petrobras desde 2014, o Espanca começou um estudo da obra de Veronese em 2011. O argentino, que valoriza a atuação, foi para a capital mineira conferir o trabalho do grupo, e depois os recebeu em Buenos Aires, em uma residência de um mês. “Ele trabalha com cenário muito reduzido e objetos e luz muito simples, para concentrar atenção no ator. O trabalho foi minucioso em cada gesto”, afirma o ator Marcelo Castro.

Dialogando com o cinema, a peça questiona a arte e a vida, ao trazer uma atriz, seu marido e o cunhado em um jogo de acusações e artimanhas. “É difícil falar de tema, é como se todos falassem em cima de distração para outra coisa que está acontecendo”, diz Marcelo. Um sentimento de tristeza e inadequação estão presentes, ao mencionarem outro lugar que gostariam de estar ou passado glorioso, detalha. O texto faz referência a Tchekhov, em especial “A Gaivota” e “As 3 Irmãs”. “Falam muito de teatro, mas o que se vê é sempe em contradição com o que está sendo dito”, finaliza Marcelo, que considera tudo muito cru e seco, para que as pessoas lembrem que é teatro.