Porto Alegre

17ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 22 de Outubro de 2017

  • 28/09/2017
  • 08:48
  • Atualização: 12:33

Espetáculo sobre Qorpo Santo tem curta temporada na Capital

Sob direção de Inês Marocco, peça é inspirada no livro “Cães da Província”

Sob a direção de Inês Marocco, o Santo Coletivo apresenta peça inspirada no livro “Cães da Província” de Luiz Antônio de Assis Brasil | Foto: Martino Piccinini / Divulgação / CP

Sob a direção de Inês Marocco, o Santo Coletivo apresenta peça inspirada no livro “Cães da Província” de Luiz Antônio de Assis Brasil | Foto: Martino Piccinini / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

Sob a direção de Inês Marocco, o Santo Coletivo apresenta peça inspirada na vida e obra do jornalista, professor, escritor e dramaturgo Qorpo Santo, que viveu entre 1829 e 1883, no Rio Grande do Sul. “Santo Qorpo ou O Louco da Província” pode ser conferida desta quinta-feira até este domingo, às 20h, no Teatro Bruno Kiefer (Andradas, 736).

Livremente inspirada no livro “Cães da Província” de Luiz Antônio de Assis Brasil e na enciclopédia e peças escritas por Qorpo Santo, a montagem tem dez atores no elenco. A intenção é resgatar a estética de suas criações e o imaginário de sua época, recriando-os no palco. Em 2013, um grupo de estudantes do Instituto de Artes da Ufrgs iniciou uma viagem no tempo, para entender a razão deste autor seguir desconhecido, mesmo tendo sido considerado por alguns teóricos, o precursor do teatro do absurdo.

José Joaquim de Campos Leão, conhecido como Qorpo Santo, escreveu sua obra teatral no século XIX, mas ela só foi encenada a partir da década de 1960. Antes de produzir sua obra literária, foi comerciante, professor, vereador, delegado de polícia e jornalista.

Por volta de 1860, vê seu destino mudar, na Província de São Pedro, tanto por interesse econômico por parte da esposa quanto moral, da sociedade. A equipe incursionou de cabeça no universo surreal, marginal e grotesco do intelectual, e concluiu que sua vida era tão interessante quanto sua obra, bastante autobiográfica.