Porto Alegre

25ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 23 de Janeiro de 2018

  • 25/12/2017
  • 19:56
  • Atualização: 19:58

Antes da Copa de 2018, Mutko deixa de presidir entidade que comanda futebol russo

Dirigente informou que precisa de um tempo afastado para poder entrar com um recurso contra a decisão do COI

Dirigente informou que precisa de um tempo afastado para poder entrar com um recurso contra a decisão do COI | Foto: Alexander Nemenov / AFP / CP

Dirigente informou que precisa de um tempo afastado para poder entrar com um recurso contra a decisão do COI | Foto: Alexander Nemenov / AFP / CP

  • Comentários
  • AE

Vitaly Mutko anunciou oficialmente nesta segunda-feira que deixará temporariamente a presidência da União de Futebol da Rússia (UFR). O dirigente tomou a surpreendente decisão durante reunião do Comitê Executivo da entidade, em Moscou, onde falou que a sua demissão é pelo período de seis meses.

O dirigente ainda revelou que será substituído no cargo pelo diretor geral da UFR, Alexandr Alaev, e ressaltou que precisa de um tempo afastado desta função para poder entrar com um recurso junto à Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) contra a decisão do Comitê Olímpico Internacional (COI), tomada no último dia 5 de dezembro, de excluí-lo pelo resto da vida de qualquer atividade ligada aos Jogos Olímpicos por causa das denúncias de envolvimento com doping que o atingem.

Investigações realizadas pela Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) e pelo COI concluíram que Mutko estava envolvido em um sofisticado programa de dopagem que foi implementado durante os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014, em Sochi, na Rússia.

Ministro do Esporte da nação durante a realização da importante competição, Mutko negou veementemente o seu envolvimento neste escândalo, sendo que os esportistas russos não poderão competir defendendo a bandeira russa nos Jogos de Inverno de PyeongChang, em 2018, por causa da suspensão aplicada pelo COI ao país.

Mutko disse que apresentará a sua defesa na CAS nesta terça-feira e também confirmou a sua permanência no cargo de vice-primeiro-ministro da Rússia, com o qual ele supervisiona os esportes do país. Ao mesmo tempo, a sua decisão de deixar a presidência da UFR aparentemente foi um movimento para sair do foco das críticas enquanto a Rússia se prepara para receber a Copa do Mundo de 2018.

Ao abordar a importante competição, o dirigente ressaltou também que está disposto a deixar o posto de presidente do Comitê Organizador Local do Mundial, tendo em vista a sua saída da presidência da UFR, mas frisou que a última palavra em relação a este assunto será dada pelo presidente russo, Vladimir Putin.

"Enquanto o presidente confiar em mim, seguirei trabalhando como vice-presidente e seguirei supervisionando os preparativos para o Mundial. Inclusive, pode ser que volte antes (dos seis meses prometidos de afastamento) ao cargo de chefe da UFR", avisou Mutko nesta segunda-feira.

No último dia 1º de dezembro, data do sorteio dos grupos da Copa de 2018, em Moscou, o dirigente negou também que jogadores da seleção russa estejam envolvidos em um esquema de doping. Ele precisou abordar o delicado tema, em entrevista coletiva, após recentes denúncias apontarem que até 34 atletas, entre eles supostamente todo o grupo presente na Copa de 2014, no Brasil, estão sendo investigados pela Wada por possível envolvimento em um esquema de doping.