Porto Alegre

20ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

  • 20/11/2017
  • 10:56
  • Atualização: 11:37

Presença de Jael e Cristian até o final contra o Santos foi por “maior experiência”

Apesar da derrota, técnico César Bueno acredita que jogo serviu como avaliação para os meninos

Jael iniciou a partida para ser observado por Renato Portaluppi e terminou entre os 11 | Foto: Ivan Storti / Santos FC / Divulgação / CP

Jael iniciou a partida para ser observado por Renato Portaluppi e terminou entre os 11 | Foto: Ivan Storti / Santos FC / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo e Rádio Guaíba

A derrota do Grêmio reserva para o Santos, por 1 a 0, na Vila Belmiro, no último domingo, serviu para dar ritmo a Jael e Cristian, em função das finais da Libertadores, e para o técnico Renato Portaluppi observar todos os atletas que não vem atuando. Segundo avaliação do técnico César Bueno, que comanda o grupo de transição do Tricolor, a partida foi de grande valia.

“Foi uma partida muito complicada. Pegamos um time que está no G4, motivado e dentro da casa deles. Não foi fácil jogar aqui. Tínhamos uma preocupação muito grande com o ataque do Santos, mas, no geral, (os jovens) foram muito bem. No final, quando o Santos baixou demais para marcar, sofremos com os contra-ataques, mas, no contexto geral, foi uma boa avaliação dos meninos”, afirmou o técnico.

Mesmo com o treinador do time principal vendo o jogo em Porto Alegre, Bueno se colocou à disposição para dirimir eventuais dúvidas de Renato Portaluppi. “Melhor do que ninguém, ele sabe o que aconteceu aqui (na Vila Belmiro). Claro, vou responder a qualquer dúvida, mas ele conhece os meninos, que muitas vezes trabalharam como ele”, declarou César Bueno.

Um dos objetivos do treinador da equipe que ficou em Porto Alegre se preparando para primeira partida da final da Libertadores, contra o Lanús, na próxima quarta-feira, às 21h45min, na Arena, era observar dois jogadores específicos: Cristian e Jael. Ambos ficaram até o apito final de partida e, segundo Bueno, o expediente não foi um pedido de Renato Portaluppi.

“Na verdade, não ocorreu uma ordem para que eles terminassem o jogo. Mas, claro, por eles serem experientes, davam uma sustentação emocional para o time. Principalmente, no segundo tempo”, disse o técnico do grupo de transição.

O grupo principal volta aos treinamentos nesta segunda-feira, às 18h, na Arena. A última atividade antes da decisão em Porto Alegre ocorre na terça-feira, às 17h.