Correio do Povo | Notícias | Melo quer Inter despreocupado de adversários e focado em vencer na reta final

Porto Alegre, sexta-feira, 19 de Julho de 2019

  • 05/11/2018
  • 08:56
  • Atualização: 11:33

Melo quer Inter despreocupado de adversários e focado em vencer na reta final

Vice de futebol afirmou que o clube irá solicitar o uso do VAR nas últimas rodadas do Brasileirão

Melo quer Inter despreocupado de adversários e focado em vencer na reta final  | Foto: Ricardo Duarte / Inter / Divulgação / CP

Melo quer Inter despreocupado de adversários e focado em vencer na reta final | Foto: Ricardo Duarte / Inter / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo e Rádio Guaíba

Seis rodadas. Dezoito pontos. São números que fazem parte da equação do Inter nesta reta final de Campeonato Brasileiro. O Colorado precisa, por exemplo, de apenas um empate para se garantir na Libertadores, mas, como atualmente é o segundo colocado, sonha mais alto e ainda quer o título. O vice-presidente de futebol Roberto Melo quer ver nos próximos jogos um time despreocupado dos adversários mais próximos e muito mais focado em vencer.  

"Faltam seis rodadas e temos 18 pontos em jogo, apesar do Palmeiras ter comemorado como se fosse um título. Mas não adianta a gente ficar preocupado com o São Paulo, Flamengo e Palmeiras, que são as equipes que estão próximas, se a gente não fizer a nossa parte. Vamos viajar para vencer o Ceará no final de semana. Só com as vitórias é que teremos chances de ser campeões", disse Melo após o triunfo sobre o Atlético-PR

Melo confirmou que o presidente Marcelo Medeiros irá à sede da CBF para solicitar formalmente a inclusão do VAR nas últimas rodadas do Brasileirão. "A gente vai propor. O presidente está liderando esse movimento e muitos dirigentes foram favoráveis. Agora, se a CBF não quer, talvez porque não estejam preparados para implantar isso, eu até vou entender, mas espero que no ano que vem a gente tenha essa ferramenta para minimizar os erros", argumentou. 

Esquiva sobre o Caso Gallardo 

Questionado sobre a situação do Grêmio, que perdeu o pleito junto à Conmebol sobre o Caso Gallardo, Melo preferiu evitar uma análise do assunto. 

"Acho que todas as instituições precisam sentar e conversar. Talvez, em algum momento, os clubes tenham se sentido prejudicados, mas eu não posso avaliar isso neste momento. Teria que pensar melhor para entender. A gente sabe que os clubes brasileiros têm pouca força na Conmebol e isso faz diferença, até porque a confederação que nos representa não tem tanto poder junto à entidade sul-americana. A gente sabe que a AFA e outras confederações têm mais poder", finalizou.