Correio do Povo | Notícias | Bancas no centro de Novo Hamburgo serão fechadas para obra

Porto Alegre, terça-feira, 18 de Junho de 2019

  • 21/01/2019
  • 09:01
  • Atualização: 09:19

Bancas no centro de Novo Hamburgo serão fechadas para obra

Espaço funciona 24 horas e concentra oito lancherias na avenida Pedro Adams Filho

Os trabalhos na área devem levar 60 dias | Foto: Stephany Sander / Especial / CP

Os trabalhos na área devem levar 60 dias | Foto: Stephany Sander / Especial / CP

  • Comentários
  • Stephany Sander

As Bancas, espaço que funciona 24 horas e concentra oito lancherias na avenida Pedro Adams Filho, serão interditadas para as obras de revitalização do centro de Novo Hamburgo. Quem passa pela região já observa algumas restrições, tanto de carros quanto de pedestres, mas pelo menos até o próximo dia 31 os pontos estarão em funcionamento. Segundo o secretário de Obras, Raizer Ferreira, assim que iniciados, em 1º de fevereiro, os trabalhos envolverão a troca do telhado, do piso e melhorias nas bancas e devem levar 60 dias. “Nossa ideia é ir abrindo alguns pontos, à medida que os serviços forem feitos, pois sabemos que tanto a comunidade quanto os permissionários precisam das bancas operando.”

A única apreensão por parte dos empresários é de saírem e não poderem retornar. “Minha família atua desde que o local abriu, não acho justo não podermos continuar atuando nas bancas”, diz Ângelo Siegler. A questão surgiu em 2013, quando o Ministério Público instaurou inquérito civil questionando o fato de as concessões não possuírem períodos determinados. Conforme o promotor Manoel Luiz Prates Guimarães, a cada cinco anos deve ser aberta concorrência aos interessados, segundo a Constituição. Foi levantada a hipótese de um abaixo-assinado a fim de garantir o retorno após as obras.

Porém, em audiência na semana passada entre o MP e os oito permissionários, ficou acordado que, após a conclusão dos trabalhos, os comerciantes poderão retomar as atividades por 30 meses, a contar da data da reunião, período que poderá ser prorrogado mediante a comprovação de investimentos. Após, a prefeitura deverá abrir licitação para a atividade comercial no local.