Porto Alegre

19ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quinta-feira, 27 de Julho de 2017

  • 13/07/2017
  • 15:07
  • Atualização: 15:08

Governo do Estado lança projeto para gerar 480 megawatts de energia elétrica

Expectativa é que programa de incentivo a pequenas centrais hidrelétricas crie 12 mil empregos

Cerimônia no Palácio Piratini lançou o projeto elétrico do governo José Ivo Sartori | Foto: Luiz Chaves / Palacio Piratini / Divulgação / CP

Cerimônia no Palácio Piratini lançou o projeto elétrico do governo José Ivo Sartori | Foto: Luiz Chaves / Palacio Piratini / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Cláudio Isaías

Com um potencial de investimentos de R$ 3 bilhões e novos empreendimentos que podem viabilizar a criação de 12 mil empregos, o Programa Gaúcho de Incentivo às Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) foi lançado nesta quinta-feira no Palácio Piratini pelo governador José Ivo Sartori e pela secretária Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Ana Pellini. A iniciativa prevê ainda a geração de 480 megawatts de energia elétrica que vão atender 1,4 milhão de residências. Durante a solenidade, foram entregues 91 projetos viáveis de licenciamento ambiental para geração de energia hídrica no Estado.

Segundo Ana Pellini, a iniciativa somente foi possível porque estão sendo destravados pela Fepam processos que não eram resolvidos há mais de 10 anos. A secretária do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável informou que o estoque de 150 processos que aguardava licenciamento na Fepam foi examinado e que cada empreendedor receberá um ofício com os documentos que deve apresentar para dar continuidade ao licenciamento.

“Vamos aliar desenvolvimento e cuidado com meio ambiente. Uma ação inédita no país que coloca o Rio Grande do Sul na vanguarda em preservação ambiental”, destacou o governador. Sartori afirmou que com as PCHs instaladas, as comunidades passarão a contar com energia de qualidade para tarefas diárias e o Índice de Desenvolvimento Humano deverá crescer consideravelmente, além do retorno de ICMS para os municípios.

O secretário de Minas e Energia, Artur Lemos Júnior, destacou a importância do incentivo às centrais hidrelétricas e afirmou que haverá compensação ambiental das unidades de conservação. “São 91 projetos de Centrais Hidrelétricas (PCHs) e Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGHs). Os empreendimentos somam um potencial de investimentos superior a R$ 3 bilhões. Desse valor, 15 milhões serão destinados à compensação ambiental das unidades de conservação”, ressaltou.

O programa foi elaborado com base no mapeamento dos rios livres de barramento. O estudo indica os rios que serão preservados para garantir a manutenção dos principais cursos d’agua representativos das diversas tipologias de cada uma das regiões hidrográficas do Rio Grande do Sul. “Vamos aliar desenvolvimento e cuidado com meio ambiente. Uma ação inédita no país que coloca o Rio Grande do Sul na vanguarda em preservação ambiental”, destacou o governador.

O presidente da Associação Gaúcha de Pequenas Centrais Hidrelétricas (AGPCH), Luiz Antônio Leão, afirmou que as centrais hidroelétricas são uma cadeia 100% nacional e que gera o maior número de empregos diretos.