Porto Alegre

24ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 17 de Dezembro de 2017

  • 10/10/2017
  • 15:17
  • Atualização: 15:21

Cpers e governo não chegam a acordo e greve é mantida

Professores estaduais estão parados há 36 dias

Cpers e governo não chegam a acordo e greve é mantida | Foto: Alina Souza

Cpers e governo não chegam a acordo e greve é mantida | Foto: Alina Souza

  • Comentários
  • Claudio Isaías

A reunião que tentava colocar fim a greve de 36 dias dos professores estaduais terminou sem acordo nesta terça-feira. O encontro ocorreu na sede da Secretaria Estadual da Educação no Centro Administrativo do Estado, em Porto Alegre e teve duração de aproximadamente meia-hora. Estiveram presentes a direção do Cpers/Sindicato e do chefe da Casa Civil, Fábio Branco, e a secretária adjunta da Educação, Iara Wortmann.

A presidente do Cpers, Helenir Aguiar Schürer, disse que o governo do Estado não está priorizando o pagamento dos salários dos servidores. “A greve continua em todo o Estado. A adesão ao movimento atinge mais de 65% e não existe a menor possibilidade de término da paralisação”, destacou.

Segundo Helenir Aguiar, se o governo estadual não tem proposta para a categoria a tendência é intensficar o movimento na próxima semana. “O governo do Estado há 22 meses joga no lixo a dignidade e o respeito dos educadores mas os trabalhadores resistem defendendo aquilo que ninguém conseguiu e nem conseguirá tirar”, comentou.

No final da reunião, o chefe da Casa Civil, Fábio Branco, afirmou que o Executivo estadual é sensível a realidade triste que o Rio Grande do Sul atravessa. “Temos feito um feito um esforço muito grande para atenuar essa realidade do magistério”, ressaltou. De acordo com Branco, as propostas do governo estadual já foram feitas ao magistério gaúcho.

“O Rio Grande do Sul vive a maior crise financeira histórica do Estado. Ninguém está propondo um parcelamento por estratégia ou desejo pessoal. A situação do Estado é calamitosa. Nos próximos meses, com a adesão ao Plano de Recuperação Fiscal e todas as ações do Executivo para vencer a crise financeira vamos ter uma solução melhor para o funcionalismo”, acrescentou.

Com receio de uma invasão do prédio da Secretaria da Educação pelo grande número de professores e outros sindicalistas, a segurança foi reforçada em frente ao prédio. Policiais militares do Batalhão de Choque e da Cavalaria impediram o acesso ao prédio dos educadores que tinham o desejo de acompanhar o encontro. Em seguida, centenas de professores seguiram em caminhada até a Praça da Matriz,

Uma nova reunião entre a direção do Cpers/Sindicato e o governo estadual será realizada nos próximos dias na sede da Secretaria Estadual da Fazenda. O encontro ainda não tem data para ocorrer porque o governo estadual vai avaliar os documentos entregues pela direção do Cpers com um estudo feito pelo Dieese sobre a arrecadação do Estado.