Correio do Povo | Notícias | Metroviários suspendem possibilidade de greve nesta semana

Porto Alegre, terça-feira, 18 de Junho de 2019

  • 02/10/2018
  • 15:48
  • Atualização: 15:57

Metroviários suspendem possibilidade de greve nesta semana

Sindimetrô-RS deve convocar novas reuniões para discutir escala de empregados da noite

 Sindimetrô-RS decidiu suspender a paralisação prevista para iniciar na quarta-feira | Foto: Guilherme Testa

Sindimetrô-RS decidiu suspender a paralisação prevista para iniciar na quarta-feira | Foto: Guilherme Testa

  • Comentários
  • Jessica Hübler

Os metroviários não entrarão em greve, pelo menos nesta semana. Isto por conta de uma reunião, ocorrida no Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT4), que teve como resultado o avanço nas negociações sobre as escalas de trabalho. O encontro contou com a participação de representantes da Trensurb e do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários e Conexas do RS (Sindimetrô-RS).

Em assembleia realizada nesta segunda, o Sindimetrô-RS decidiu suspender a paralisação prevista para iniciar na quarta-feira. "Como a empresa reconheceu as negociações anteriores e agendamos novas negociações, suspendemos a paralisação, nos mantemos em estado de greve e deveremos chamar nova assembleia na próxima semana, após estas rodadas de negociação", explicou o presidente da entidade, Luís Henrique Chagas.

Duas novas reuniões devem acontecer nos próximos dias entre a Trensurb e o Sindimetrô-RS, com o objetivo de buscar um acordo com relação à escala para os empregados do turno noite. Os novos encontros acontecerão na sexta-feira, 5 de outubro, na Trensurb e na segunda-feira, 8 de outubro, no TRT4. Ficou acertado que o acordo será renovado até 30 de novembro, buscando mais tempo para as discussões sobre uma nova proposta para a escala 5 x 2 (turno da noite), que atende aproximadamente 40 empregados de três setores: oficinas, sinalização e energia.

De acordo com o secretário jurídico do Sindimetrô-RS, Henrique Luis Frozza, a categoria busca, desde 30 de abril (data base), a renovação do acordo de escalas, que regulamenta a jornada de trabalho. "Havíamos fechado o acordo coletivo de trabalho, que é financeiro e social, e agora falta o acordo de escalas, que é separado. Buscamos a renovação integral do acordo, a Trensurb vem desde maio enrolando e também não formalizou nenhuma proposta. Diante desta enrolação a categoria foi chamada para decidir o que ia fazer", afirmou.

Conforme Frozza, a não renovação do acordo de escalas gera uma insegurança para os trabalhadores. "A qualquer momento isto pode ser alterado. Este acordo é uma das conquistas históricas, uma escala que está em vigor há 30 anos. Buscamos a renovação até maio de 2020, pois nos últimos anos os acordos sobre escalas foram renovados de dois em dois anos", enfatizou. A Trensurb informou que que o acordo de escalas permanecia em vigor, e que não havia em nenhum momento discussão sobre mudança nas escalas de trabalho da área operacional e administrativa.


TAGS » Greve, Geral, Trensurb, TRT