Correio do Povo | Notícias | Tarifa do transporte público vai aumentar em 2019, diz Marchezan

Porto Alegre, quarta-feira, 18 de Setembro de 2019

  • 07/01/2019
  • 08:09
  • Atualização: 08:42

Tarifa do transporte público vai aumentar em 2019, diz Marchezan

Atualização de valores é prevista na licitação que regula a exploração do serviço

Marchezan afirma que tarifa do transporte público vai aumentar em 2019 | Foto: Guilherme Testa / CP Memória

Marchezan afirma que tarifa do transporte público vai aumentar em 2019 | Foto: Guilherme Testa / CP Memória

  • Comentários
  • Lucas Rivas / Rádio Guaíba

A um mês do início das discussões sobre reajuste das passagens de ônibus em Porto Alegre, o prefeito Nelson Marchezan Júnior adiantou que a tarifa do transporte público voltará a subir em 2019. Marchezan esclareceu que a atualização de valores é atrelada a uma medida contratual prevista na licitação que regula a exploração do serviço.

Ainda sem estimar os possíveis percentuais de reajuste, o prefeito lamentou que os vereadores não tenham validado, na íntegra, o projeto que revia a gratuidade da tarifa de ônibus para idosos entre 60 e 64 anos em Porto Alegre. De acordo com o prefeito, os benefícios, que foram mantidos para quem já é cadastrado no sistema do cartão TRI, farão com que o preço da passagem siga elevado.

Além disso, a prefeitura retirou de pauta o projeto que restringia a meia passagem apenas a estudantes de baixa renda. Marchezan reiterou que os projetos previam redução de até 12 centavos na tarifa, o que não vai mais ser possível. “A gente poderia ter melhorado muito o sistema de transporte com a aprovação de alguns projetos que foram enviados à Câmara. Tornaria mais real a nossa tarifa. Com certeza, poderíamos até ter uma redução de valor. Mas do jeito que ficou, o valor vai aumentar”, salientou.

O prefeito também lembrou que a decisão do Executivo sobre o tema é acompanhada pelos órgãos fiscalizadores. Assim, a chancela para reajustar a tarifa passa por “questão matemática”, considerou. “A decisão é técnica e este não é um debate político. Toda vez que se meter a mão politicamente, haverá alguma ação judicial, onde alguém estará enriquecendo ilegalmente ou terá prejuízos, que alguém terá que pagar”, reforçou. O prefeito também refutou a possibilidade de aportar recursos do caixa para atenuar o impacto financeiro das empresas de ônibus. "Em São Paulo”, comparou, “R$ 4 bilhões são repassados anualmente pela prefeitura, enquanto aqui o orçamento total é de cerca de R$ 7 bilhões".

Geralmente, entre o fim de fevereiro e o início de março, o Conselho Municipal de Transportes Urbanos bate o martelo sobre o percentual de reajuste. Para isso, vários itens devem ser levados em consideração, sendo que o último deles envolve os salários de motoristas e cobradores. Eles reivindicam 5,55% de reajuste, com base na inflação do INPC, mais 2,5% de aumento real.  Em março de 2018, a Prefeitura confirmou o aumento de R$ 0,25 na tarifa, que subiu para R$ 4,30. Também houve o retorno da cobrança de 50% na segunda viagem.