Porto Alegre

20ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 25 de Março de 2017

  • 11/01/2017
  • 22:24
  • Atualização: 08:14

Facebook anuncia projeto para combater difusão de notícias falsas

Rede social visa combater tráfego de notícias falsas, inclusive as impulsionadas

Facebook quer combater tráfego e notícias falsas na rede social | Foto: Reprodução Facebook

Facebook quer combater tráfego e notícias falsas na rede social | Foto: Reprodução Facebook

  • Comentários
  • AFP

O Facebook anunciou nesta quarta-feira a criação de um projeto de jornalismo destinado a promover “um ecossistema de notícias saudáveis” e reduzir a difusão de notícias falsas. A medida chega em um momento em que a rede social líder sofre intensa pressão por permitir que a desinformação se propague e às vezes se torne viral, com alguns críticos alegando que as notícias falsas no Facebook influenciaram a eleição presidencial dos Estados Unidos.

Embora o Facebook tenha rejeitado as alegações de que é uma “empresa de mídia”, a rede social disse que seu novo esforço visa aumentar a credibilidade da informação que circula. “Sabemos que nossa comunidade compartilha e discute ideias e notícias, e como parte de nosso serviço, nós nos importamos em garantir que um ecossistema de notícias saudável e o jornalismo possam prosperar”, afirmou a diretora do projeto, Fidji Simo, em um post de blog.

“É por isso que hoje estamos anunciando um novo programa para estabelecer laços mais fortes entre o Facebook e a indústria de notícias”, acrescentou ela, no post.

O projeto significará “colaborar com organizações de notícias para desenvolver produtos, aprender com os jornalistas maneiras de sermos um parceiro melhor e trabalhar com editores e educadores sobre como podemos equipar as pessoas com o conhecimento que precisam para serem leitores informados na era digital”, explicou Simo.

Um dos elementos envolverá o desenvolvimento de “novos formatos de narrativas” e outras formas de ajudar os parceiros de notícias. Um segundo elemento incluirá “treinamento e ferramentas para jornalistas” que irá ajudá-los a usar vídeos ao vivo e outras formas de se conectar com o público. O terceiro será a educação pública em “alfabetização informativa” e outros esforços para ajudar as pessoas a determinarem a credibilidade das notícias.

“Trabalharemos com organizações terceiras sobre como entender melhor e promover a alfabetização informativa tanto dentro quanto fora de nossa plataforma, para ajudar as pessoas em nossa comunidade a terem as informações necessárias para decidir em quais fontes confiar”, afirmou Simo.

Como parte disto, o Facebook irá publicar anúncios de serviços públicos em colaboração com o Projeto de Literacia de Notícias, sem fins lucrativos, que ajudará as pessoas a determinar a veracidade de notícias, e trabalhará em pesquisa com a Escola de Jornalismo Walter Cronkite, da Universidade do Estado do Arizona.

Simo disse que o Facebook continuaria os esforços anunciados no mês passado para “interromper os incentivos financeiros” para sites que criam notícias falsas. “Este problema é muito maior do que qualquer plataforma, e é importante que todos nós trabalhemos juntos para minimizar o seu alcance”, acrescentou.

“Este é apenas o começo de nosso esforço nessa frente - nós temos muito mais a fazer. A página do projeto de jornalismo do Facebook servirá como um centro para nossos esforços para promover e apoiar o jornalismo no Facebook.”