Porto Alegre

24ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 18 de Outubro de 2017

  • 12/10/2017
  • 17:38
  • Atualização: 17:44

Itamaraty pede diálogo entre Espanha e Catalunha

Os dois estão em novo impasse após região separatista decidir em plebiscito declarar independência

Os dois estão em novo impasse após região separatista decidir em plebiscito declarar independência | Foto: Pau Barrena / AFP / CP

Os dois estão em novo impasse após região separatista decidir em plebiscito declarar independência | Foto: Pau Barrena / AFP / CP

  • Comentários
  • Agência Brasil

O Ministério das Relações Exteriores divulgou nesta quinta-feira comunicado em que pede diálogo entre a Espanha e a região da Catalunha. No documento, o Itamaraty afirma que o Brasil vem “acompanhando com atenção os últimos acontecimentos na Espanha, país cuja transição democrática foi e é um exemplo para a América Latina”.

“Ao reiterar os laços de amizade e solidariedade que unem brasileiros e espanhóis, o governo conclama ao diálogo, no marco da legislação desse país, ressaltando a importância do pleno respeito à Constituição espanhola e ao Estado Democrático de Direito”, diz a nota.

A Espanha e a Catalunha estão em meio a novo impasse depois que a região separatista decidiu em plebiscito declarar independência. No entanto, ao anunciar o resultado, o presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, declarou a independência da região, mas suspendeu os efeitos do anúncio para abrir um processo de diálogo com o governo espanhol.

O governo espanhol enviou requerimento ao chefe do Executivo da Catalunha em que dá prazo de cinco dias, até segunda-feira, para que a Generalitat (governo catalão) confirme se declarou a independência da região. O documento estabelece ainda que o presidente catalão tem até quinta-feira para retificar a decisão e restaurar a ordem constitucional.

Para Jordi Turull, porta-voz do governo catalão, a iniciativa espanhola deixa claro que não há abertura para o diálogo. Em seu discurso no Parlamento na última terça-feira, o presidente catalão, Carles Puigdemont, afirmou que a suspensão dos efeitos da declaração de independência tinha como propósito abrir caminho para o diálogo, numa tentativa de diminuir as tensões e propiciar um possível acordo.