Porto Alegre

24ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 24 de Janeiro de 2018

  • 12/01/2018
  • 13:07
  • Atualização: 13:12

Cirurgião britânico condenado por gravar suas iniciais em fígados

Simon Bramhall gravou letras com laser coagulador de gás argônio, usado nas operações para evitar hemorragias

Simon Bramhall gravou letras com laser coagulador de gás argônio, usado nas operações para evitar hemorragias | Foto: USP Imagens / CP

Simon Bramhall gravou letras com laser coagulador de gás argônio, usado nas operações para evitar hemorragias | Foto: USP Imagens / CP

  • Comentários
  • AFP

Um cirurgião britânico que gravou suas iniciais nos fígados de dois pacientes durante transplantes foi condenado nesta sexta-feira a realizar trabalhos sociais. Um tribunal de Birmingham (centro da Inglaterra) condenou Simon Bramhall, de 53 anos, a um ano de trabalhos sociais e a pagar uma multa de 10 mil libras (13.600 dólares) após ter se declarado culpado de duas acusações de agressão, embora tenha negado outras duas de ter causado danos físicos a suas vítimas.

"As duas (operações) foram longas e difíceis. Admito que nessas duas ocasiões você estava cansado e nervoso, e isso pode ter afetado seu julgamento", disse o juiz ao acusado durante a leitura da sentença. No entanto, acrescentou, "o que você fez foi um abuso de poder e uma traição à confiança que seus pacientes depositaram em você". O caso deste médico que gravou "SB" nos órgãos não tem precedente legal, disse a Promotoria.

Bramhall gravou as iniciais com um laser coagulador de gás argônio, usado nas operações para evitar hemorragias, e o fez na presença de seus colegas. Uma das vítimas teve que ser operada novamente tempos depois e os cirurgiões encontraram as iniciais, explicou a imprensa britânica.  "Suas ações marcando os fígados daqueles pacientes, de modo totalmente desnecessário, foram atos deliberados e conscientes", denunciou Elizabeth Reid, da Promotoria. "Esses ataques são errados, não apenas do ponto de vista ético, mas também penal", acrescentou.