Porto Alegre

28ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 22 de Abril de 2018

  • 12/01/2018
  • 10:31
  • Atualização: 11:12

Polícia constata furto de energia em templo macabro em Gravataí

Integrantes do Deic estiveram em frente ao local para avaliar fornecimento de luz

Polícia constata furto de energia em templo macabro em Gravataí  | Foto: Policia Civil / Divulgação / CP

Polícia constata furto de energia em templo macabro em Gravataí | Foto: Policia Civil / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

A Polícia Civil informou na manhã desta sexta-feira que constatou furto qualificado de energia no templo macabro, em Gravataí, local onde duas crianças teriam sido mortas. Integrantes do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) estiveram no local e fizeram a análise do fornecimento de luz do local. 

A delegada Marina Ver Goltz relatou que os policiais estavam acompanhados de técnicos da concessionária Rio Grande Energia. A energia elétrica do local foi cortada, mas ninguém foi preso. As investigações para responsabilização dos proprietários do local prosseguirão.

Em busca de provas incontestáveis 

Nessa quinta-feira, o titular da Delegacia de Homicídios de Novo Hamburgo, delegado Rogério Baggio, afirmou que está em busca de provas técnicas sobre o envolvimento dos suspeitos no crime de assassinato e esquartejamento de duas crianças naquela cidade. “Solicitei diversas autorizações judiciais e também perícias que não haviam sido solicitadas ainda. Precisamos de provas incontestáveis”, afirmou.

Uma das autorizações judiciais solicitada pelo delegado foi feita com o objetivo de ter acesso a todos os arquivos dos celulares apreendidos. “Se for autorizado, vamos realizar uma perícia para ter acesso a fotos, conversas, áudios e vídeos que estão no aparelho ou que já foram apagados”, detalhou.

Conforme Baggio, uma prova incontestável seria, por exemplo, localizar o sangue de alguma das duas crianças na capa que foi apreendida no templo. “Se for encontrado sangue de alguma das crianças na capa, está comprovado que teve uma ligação”, ressaltou. “Estou na busca dessas provas.”

Processo vazio e tendencioso 

A defesa do “líder da seita” teve acesso, nesta quinta-feira, a todos os documentos que constam no inquérito que está apurando a responsabilidade dele e dos demais acusados no crime de assassinato e esquartejamento das duas crianças em Novo Hamburgo. Conforme o advogado do acusado, Marco Alfredo Mejia, mesmo antes de ter acesso ao inquérito, na quarta-feira, a defesa já havia encaminhado à Justiça o pedido de liberdade. A expectativa do advogado é de que haja um posicionamento do Poder Judiciário sobre o pedido na próxima segunda-feira.

“Queremos ver mais provas técnicas que no processo não estão. Na verdade não tem nada. Assustadoramente não tem nada. Eles estão baseando toda a investigação e a acusação em duas testemunhas que não dizem praticamente nada. É uma acusação leviana, na verdade”, disse Mejia. Segundo ele, o processo é muito carente de provas. “Eles (delegados) querem levar a acusação pelo fundo religioso. A prisão é totalmente injusta”, ressaltou.