Correio do Povo | Notícias | Após ataques, 20 presos do Ceará são levados para presídio federal

Porto Alegre, quinta-feira, 19 de Setembro de 2019

  • 09/01/2019
  • 09:55
  • Atualização: 10:09

Após ataques, 20 presos do Ceará são levados para presídio federal

Novas transferências em presídios do estado ainda devem ocorrer

Segundo apurou o jornal O Estado de S. Paulo, os presos transferidos seriam integrantes do Comando Vermelho | Foto: Alex Gomes / Jornal O Povo / CP

Segundo apurou o jornal O Estado de S. Paulo, os presos transferidos seriam integrantes do Comando Vermelho | Foto: Alex Gomes / Jornal O Povo / CP

  • Comentários
  • AE

Como reação à onda de ataques no Ceará, 20 presos locais foram transferidos para o presídio federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, na madrugada desta quarta-feira. A operação foi realizada de forma conjunta entre o Departamento Penitenciário Federal (Depen), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e o governo do Ceará, com início às 2h e término às 4h30min da manhã.

Segundo apurou o jornal O Estado de S. Paulo, os presos transferidos seriam integrantes do Comando Vermelho. A partir de Mossoró, os detentos serão distribuídos entre as demais quatro unidades penitenciárias federais administradas pelo Depen, do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP). Ao mesmo tempo, novas transferências em presídios do Ceará ainda devem ocorrer. O Depen disponibilizou mais vagas. Segundo uma fonte, o número total pode chegar a 60.

As primeiras 20 vagas já haviam sido disponibilizadas desde a sexta-feira, dia 4, mas ainda faltava a chegada das autorizações judiciais, que foram comunicadas nesta terça-feira ao ministério. A ação coordenada para definir as transferências envolveu o Ministério Publico e o Poder Judiciário do Ceará, o MJSP e a Justiça Federal de Mossoró.

A avaliação do Ministério da Justiça é que as ações em resposta à onda de ações criminosas em Fortaleza, na região metropolitana e no interior do Estado, estão surtindo efeito. Comenta-se que já está ocorrendo um arrefecimento dos ataques, que seguem preocupando a população.