Correio do Povo | Notícias | Governo do RS autoriza nomeação de cargos de confiança para Fundação Zoobotânica

Porto Alegre

28ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 18 de Janeiro de 2017

  • 10/01/2017
  • 17:25
  • Atualização: 17:31

Governo do RS autoriza nomeação de cargos de confiança para Fundação Zoobotânica

Piratini informa que função vão integrar comissão de transição temporária

Governo do RS autoriza nomeação de cargos de confiança para Fundação Zoobotânica | Foto: André Ávila / CP Memória

Governo do RS autoriza nomeação de cargos de confiança para Fundação Zoobotânica | Foto: André Ávila / CP Memória

  • Comentários
  • Correio do Povo

O governo do Rio Grande do Sul autorizou a nomeação de seis cargos de confiança para a Fundação Zoobotânica, que teve a extinção aprovada em votação do pacote do governador José Ivo Sartori, na Assembleia Legislativa, em dezembro.

Em nota publicada no Diário Oficial dessa segunda-feira, os empregados foram chamados para os cargos vagos de planejamento e projetos, assessor jurídico, educação ambiental, comunicação social, projetos especiais e comissão de assessor.

Cada cargo renderá um salário de R$ 6.765,60, sendo R$ 47.359,20 entre os seis nomeados, com benefícios de vale alimentação e transportante, totalizando R$ 55 mil por mês.

A Fundação Zoobotânica estava incluinda juntamente com outras cinco fundações estaduais, a Fundação de Ciência e Tecnologia (Cientec), a Fundação de Economia e Estatística (FEE), a Televisão Educativa (TVE), a Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan) e a Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH), que integravam o projeto 246/16 que foi aprovada a suas devidas extinções.

O governo informou que as funções na Fundação Zoobotânica vão integrar uma comissão de transição temporária, composta por especialistas em varias áreas como contador, museólogo e biólogo. "Todos eles possuem conhecimento em administração pública, de forma que o período de transição possa ocorrer com o menor prejuízo possível àquele valioso patrimônio ambiental de todos os gaúchos", diz a nota.