Porto Alegre

17ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Novembro de 2017

  • 13/11/2017
  • 18:06
  • Atualização: 19:40

Eduardo Leite rejeita palanque com Aécio e critica MBL

No Esfera Pública, presidente estadual do PSDB disse que Sartori é bem-intencionado, mas “não lidera com entusiasmo”

Eduardo Leite criticou maneira agressiva do MBL | Foto: Alina Souza

Eduardo Leite criticou maneira agressiva do MBL | Foto: Alina Souza

  • Comentários
  • Rádio Guaíba

Alçado como pré-candidato ao Piratini em 2018, o presidente recém-empossado do PSDB estadual, Eduardo Leite, trabalha para se descolar da imagem do senador tucano Aécio Neves (MG). Em entrevista para o Esfera Pública, na Rádio Guaíba, o ex-prefeito de Pelotas disse nesta segunda-feira que rejeita subir em um palanque com o atual presidente nacional da sigla. Além disso, revelou que trabalha nos bastidores para derrotar o senador mineiro na convenção nacional do PSDB. Aécio defende a candidatura do governador de Goiás, Marconi Perillo, que disputa o posto com o senador Tasso Jereissatti – destituído do comando do partido pelo próprio Aécio na semana passada.

“Eu acho que o senador Aécio Neves erra na condução do partido por não ter deixado definitivamente a presidência. Acho que ele deverá ser derrotado e eu trabalharei para isso na próxima convenção nacional. As posições do PSDB são muito claras, especialmente, o que significa a saída do PSDB do governo federal”, afirmou.

Ao mirar as futuras alianças, Eduardo Leite comentou a proximidade com vários partidos, entre eles o PP. Mesmo que o deputado federal Luis Carlos Heinze (PP) já tenha manifestado interesse em concorrer ao Piratini nas próximas eleições, o presidente estadual do PSDB garante ter estofo para disputar com qualquer liderança progressista uma cabeça de chapa. “Aposto que, no final deste processo, nós tenhamos um grupo político grande e representativo do ponto de vista eleitoral e, dentro desta união, vamos definir o nome que melhor representa (este programa). Se entenderem que o meu nome é o melhor para liderar este processo eleitoral, eu estou a disposição”, explicou.

Governador é bem-intencionado, mas não lidera com entusiasmo

Mesmo compondo a base do governo Sartori, o PSDB também vem apontando equívocos na atual administração, principalmente, na agenda fiscal, segundo Eduardo Leite. “Eu acho que o governador é bem-intencionado, mas não lidera com entusiasmo para o nosso futuro”, sintetizou.

Sobre a ligação tucana com o Movimento Brasil Livre (MBL), que capitaneou os protestos pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e apoiou a candidatura de Nelson Marchezan Junior, em Porto Alegre, Eduardo Leite assegurou não ter ligação com o grupo. Ele repudiou a prática agressiva de membros do grupo: “Eu não tenho ligação ou vínculo com o MBL, mas respeito como movimento. Mas o MBL tem algumas práticas que discordo, especialmente, as que se referem a simplificar ou rotular qualquer pessoa que pense de forma diferente como alguém ‘do mal’. Tu tens que compreender que as pessoas que não pensam como tu pensas, não necessariamente são canalhas e não prestam”, finalizou.