Porto Alegre

17ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 19 de Novembro de 2017

  • 20/04/2017
  • 15:41
  • Atualização: 15:42

Empresários do 4º Distrito demonstram preocupação com serviços básicos de Porto Alegre

Secretário Ramiro Rosário repetiu as palavras de Marchezan sobre a situação financeira da prefeitura

Secretário Ramiro Rosário falou sobre as dificuldades financeira da prefeitura de Porto Alegre | Foto: Guilherme Testa

Secretário Ramiro Rosário falou sobre as dificuldades financeira da prefeitura de Porto Alegre | Foto: Guilherme Testa

  • Comentários
  • Cláudio Isaías

Os empresários do 4º Distrito de Porto Alegre apresentaram nesta quinta-feira ao secretário municipal de Serviços Urbanos, Ramiro Rosário, as demandas das empresas na área de serviços urbanos. O presidente da Associação das Empresas dos Bairros Humaitá-Navegantes (AEHN), Luiz Carlos Camargo, apresentou os problemas relacionados aos constantes alagamentos na região e o acúmulo de lixo. “São demandas de, pelo menos, cinco anos que queremos saber como a prefeitura pretende resolver”, comentou Camargo.

Os empresários questionaram o secretário sobre como está a unificação dos serviços dos departamentos municipais de Água e Esgotos (DMAE), Limpreza Urbana (DMLU) e de Esgotos Pluviais (DEP). “Queremos entender como será o funcionamento desses serviços na gestão do prefeito Nelson Marchezan Júnior”, destacou Camargo. O 4º Distrito compreende parte da Estação Rodoviária, os bairros Humaitá e Navegantes e parte da rua João Moreira Maciel, no bairro Marcílio Dias.

O secretário Ramiro Rosário afirmou aos empresários que a situação de Porto Alegre é muito grave. “O prefeito Nelson Marchezan Júnior afirmou que a realidade financeira da cidade nos impõe a previsão de atraso nos salários dos servidores municipais e da falta de alguns serviços básicos do dia a dia da cidade”, comentou. Segundo Rosário, a população já vinha acompanhando uma certa dificuldade e uma deterioração da forma como os serviços eram prestados na Capital.

“Agora estamos enfrentando uma situação financeira mais grave da administração municipal”, explicou.

O secretário municipal de Serviços Urbanos afirmou que mais cedo ou mais tarde a gestão do prefeito Nelson Marchezan Júnior, os empresários, as associações de classe e os moradores de Porto Alegre teriam que pagar esta conta. “Estamos dispostos juntos com vocês a enfrentar as dificuldades e com muita transparência a pagar essa conta”, acrescentou.