Correio do Povo | Notícias | Após maratona de reuniões, futuro secretário da Fazenda retorna nesta quarta ao RJ

Porto Alegre, domingo, 16 de Junho de 2019

  • 04/12/2018
  • 17:35
  • Atualização: 17:42

Após maratona de reuniões, futuro secretário da Fazenda retorna nesta quarta ao RJ

Marco Aurélio Cardoso chegou ao RS nessa segunda e encontrou com a equipe diretiva da pasta

Após maratona de reuniões, futuro secretário da Fazenda retorna nesta quarta ao Rio de Janeiro | Foto: Aldemir Kerschner / Divulgação / CP

Após maratona de reuniões, futuro secretário da Fazenda retorna nesta quarta ao Rio de Janeiro | Foto: Aldemir Kerschner / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Flavia Bemfica

O futuro secretário de Fazenda, Marco Aurélio Santos Cardoso, retorna nesta quarta-feira ao Rio de Janeiro, após cumprir agendas de três dias no Rio Grande do Sul. Ele chegou a Porto Alegre na segunda-feira. Esta é a primeira viagem de Cardoso ao Estado após ter sido anunciado como secretário pelo governador eleito, Eduardo Leite (PSDB).

Em sua primeira missão ‘oficial’, ele, que é funcionário de carreira do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), participou de encontros da equipe de transição e de uma maratona de reuniões, nesta terça-feira, com o atual primeiro escalão da Fazenda gaúcha.

Desafios são imensos

Os encontros serviram para acessar mais dados, se inteirar de novas informações acerca da situação das finanças do Estado e estreitar relações com as equipes que terá sob seu comando a partir de 1º de janeiro. A projeção inicial é que ele traga de fora duas ou três pessoas para integrar a equipe, mas, em suas manifestações, vem destacando a qualidade dos técnicos gaúchos.

Cardoso, que concedeu uma série de entrevistas na semana passada, não quis dar novas declarações diretamente à imprensa. Via assessoria, informou que “os desafios são imensos, mas a vontade e o empenho em trabalhar pela recuperação fiscal também são gigantes. Estamos desde já dedicados a esse objetivo maior.”

O futuro secretário já elencou, entre as urgências a serem solucionadas, a questão da dívida e a da regularidade no pagamento a servidores e fornecedores. E defendeu total transparência na concessão de incentivos fiscais.