Correio do Povo | Notícias | Governador do RJ diz que polícia tem suspeito de atacar deputada a tiros

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de Junho de 2019

  • 14/01/2019
  • 15:10
  • Atualização: 15:19

Governador do RJ diz que polícia tem suspeito de atacar deputada a tiros

Linha de investigação da PC do Rio é de tentativa de latrocínio

Parlamentar já recebeu ameaças de milicianos em 2018 | Foto: José Cruz / Agência Brasil / CP

Parlamentar já recebeu ameaças de milicianos em 2018 | Foto: José Cruz / Agência Brasil / CP

  • Comentários
  • R7

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, afirmou no último domingo que a linha de investigação inicial da polícia no caso do ataque à deputada estadual Martha Rocha (PDT-RJ) é de tentativa de latrocínio. Witzel falou à imprensa após uma reunião com o delegado Giniton Lages, titular da Delegacia de Homicídios da Capital, e o secretário de Polícia Civil, Marcus Vinicius Braga. Ele acrescentou, porém, que a possibilidade de um atentado à vida da parlamentar não está descartada.

Segundo informações do Fala Brasil, da RecordTV, o governador afirmou ainda que a polícia já identificou um suspeito de envolvimento no crime. O nome não foi divulgado. Nesta segunda-feira o carro da deputada passará por uma nova perícia.

Imagens das câmeras de segurança instaladas próximo ao local do crime também serão colhidas. Ex-chefe da Polícia Civil do Rio, a deputada estadual Martha Rocha teve o carro alvejado por tiros de fuzil na manhã de domingo, na Penha, zona norte do Rio. A deputada estava com a mãe e o motorista em um veículo blindado e não ficou ferida no ataque.

O motorista da parlamentar, o subtenente reformado da PM Geonísio Medeiros, ficou ferido por estilhaços de bala na perna. A mãe da deputada, de 88 anos, se abaixou no carro durante o ataque e não foi atingida.

Em novembro de 2018, Martha foi ameaçada de morte por milicianos. Segundo a deputada, a ameaça chegou três vezes, via disque-denúncia, e foi comunicada às autoridades de segurança.