Porto Alegre

33ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

  • 06/12/2017
  • 13:33
  • Atualização: 14:19

Com 416 vagas, nova cadeia pública de Porto Alegre deve ficar pronta em dez meses

Presídio, que terá investimento de R$ 28 milhões, será construído pelo Grupo Zaffari

Contrato de permuta da área para a nova penitenciária foi assinado na manhã desta quarta no Piratini | Foto: Luiz Chaves / Palácio Piratini / CP

Contrato de permuta da área para a nova penitenciária foi assinado na manhã desta quarta no Piratini | Foto: Luiz Chaves / Palácio Piratini / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

O governador José Ivo Sartori assinou, nesta quarta-feira, o contrato de permuta de área com o Grupo Zaffari para a construção da nova cadeia pública de Porto Alegre. Durante a solenidade, Sartori assegurou que "a permuta de imóveis por área construída é prioritariamente para a área prisional".

Em troca do terreno da Fundação de Desenvolvimento e Recursos Humanos (FDRH), na avenida Praia de Belas, o Grupo Zaffari assumiu a construção da nova Cadeia Pública que terá 416 vagas em uma área de 5.101,75 metros quadrados junto à Cadeia Pública de Porto Alegre (antigo Presídio Central). A administração da unidade prisional, com acesso próprio, será realizada pela Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe).

O secretário Cezar Schirmer estimou que as obras deverão ser concluídas em até dez meses, mas acredita que esteja pronta em oito meses. A permuta com a rede de supermercados havia sido aprovada pela Assembléia Legislativa em setembro do ano passado. O investimento será de R$ 28 milhões. Cezar Schirmer lembrou que a parceria oficializada hoje reveste-se de "ineditismo e significado" pois, diante da escassez de recursos e dificuldades, é que se "surgem alternativas e novos caminhos" para o sistema prisional gaúcho. "É uma parceria extraordinária e pioneira", resumiu.

Sartori anunciou que a mesma iniciativa de parceria público-privada está em andamento na Serra. “Estamos finalizando as providências em Bento Gonçalves”, disse, referindo-se à aprovação da Câmara de Vereadores para que oficialize uma permuta de terreno para construir um novo presídio estadual na cidade, que terá 420 vagas. O governador destacou ainda a conclusão do processo de licitação do novo presídio em Alegrete, com 286 vagas, e a retomada do projeto de um presídio com recursos federais em Rio Grande, também com 286 vagas.