Porto Alegre

13ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 23 de Outubro de 2017

  • 17/03/2017
  • 14:33
  • Atualização: 14:33

De brigas de bar a acerto de contas, as cidades com apenas 1 homicídio

Casos ficaram marcados na história dos municípios

Picada Café teve apenas um homicídio nos últimos 10 anos | Foto: Stephany Sander / Especial / CP

Picada Café teve apenas um homicídio nos últimos 10 anos | Foto: Stephany Sander / Especial / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

Por Mauren Xavier, Jessica Hübler e Rodrigo Celente

Se em algumas cidades o número de homicídios chega às casas das dezenas, centenas ou milhares, há também um grupo particular que ao longo de uma década registrou apenas um assassinato. As localidades têm perfis diferentes, populações variadas, mas a maioria tem população pequena, em que os casos acabaram ganhando relevância e ficando marcados nas suas histórias. A reportagem entrou em contato com as delegacias e batalhões para conhecer quais eram essas ocorrências.

• Confira no mapa do RS o número de homicídios em cada cidade do Estado

Em Boa Vista do Sul, em 2013, Celso de Moura Viriato, 44 anos, estava no galpão nos fundos da sua residência quando foi alvejado por três tiros e acabou morrendo. De acordo com a Polícia, um homem teria parado o carro na frente da casa, localizada próximo da entrada do município, na RSC 453, descido, trocado algumas palavras com a vítima e, em seguida, efetuado os disparos.

Uma briga teria sido o motivo da morte de João Carlos dos Santos, 45 anos, na cidade de Bom Progresso. A vítima foi encontrada morta na localidade de Sanga Senhorinha, interior da cidade. Segundo informações, após um desentendimento, João Carlos foi assassinado por golpes de facão no rosto, pescoço e na mão direita, em frente à residência do suspeito.

No ano de 2013, em Cândido Godói, uma guarnição da Brigada Militar foi chamada para atender uma ocorrência relacionada à Lei Maria da Penha. Chegando ao local, o homem que ameaçava a mulher reagiu à abordagem e trocou tiros com um policial. O suspeito, que era foragido da Justiça, acabou sendo atingido e morreu no local. O policial não sofreu ferimento.

Um assalto a banco na cidade de Carazinho acabou resultando no único homicídio ocorrido na última década em Colorado. Em 2015, após o assalto, um grupo de criminosos fugiu em direção ao pequeno município de Colorado. Perseguidos por policiais militares, houve troca de tiros e um dos suspeitos de atacar o banco acabou sendo morto. Conforme informação da Polícia, o homem era foragido do sistema prisional. O tiroteio ocorreu quando a quadrilha tentava realizar uma troca de carro para seguir a fuga. Ainda conforme o relato do inspetor Rodrigo, da delegacia de Colorado, a cidade é super tranquila. “Aqui eu cuido bem da cidade”, afirmou.

Um crime passional deve ter provocado a morte de Cleonice Tereza Formaio, 35 anos, em 2013, na cidade de Coronel Pilar. Ela foi encontrada sem vida pelos filhos na cozinha de casa, sendo que a causa da morte seriam golpes de machado na cabeça. O principal suspeito é o ex-companheiro dela, de quem estava separada há 20 dias. O casal trabalhava em uma granja no interior de Coronel Pilar.

Em 2012, uma briga familiar acabou em tragédia na periferia do município de Coxilha. Argeu Bueno Cardoso, 56 anos, foi morto pelo filho após uma discussão na casa da família. Segundo a Brigada Militar, ambos brigaram em razão da suposta embriaguez do filho. O jovem, armado com uma faca, acabou atingindo o pai. Argeu foi socorrido por vizinhos, encaminhado ao Hospital de Passo Fundo, cidade próxima, mas não resistiu aos ferimentos. O autor do crime, filho de Argeu, foi preso em flagrante e, após confessar o crime, foi levado para o presídio. A BM encontrou o suspeito caído em uma rua próxima do crime.

No ano passado, a cidade de David Canabarro registrou o primeiro homicídio na década. O crime ocorreu na comunidade de São Pelegrino, no interior da cidade. Evandro Ferraz, de aproximadamente 40 anos, foi alvejado por três disparos em frente à sua residência. Segundo informações da Polícia, um homem foi até a casa da vítima num Gol cinza e ateou fogo no carro de Evandro, estacionado na frente da casa. Ao sair para verificar o que ocorria, Evandro levou três tiros. Ele chegou a ser socorrido e levado para o hospital, mas não resistiu.

Um acerto de contas acabou tirando a vida de Ivanês Pires, conhecido como Gordo, morador da cidade de Dona Francisca. Ivanês foi morto com golpes de faca em 2014. O autor do crime, havia sido agredido por Ivanês na semana anterior ao crime, ocorrido em 20 de janeiro. Ambos se desentenderam dentro de um bar. No dia seguinte, o autor do crime armou uma emboscada para a vítima na estrada, disse a Polícia. Ivanês foi pego de surpresa e acabou atingido por uma série de facadas. Ainda conforme o relato policial, ambos tinham ficha criminal.

No ano passado, Jorge Devitte Araújo Conceição, 36 anos, foi executado em sua propriedade na localidade de Linha São Paulo, no município de Doutor Ricardo. A vítima havia chegado de moto no local e, em seguida, dois homens em outra moto surpreenderam Devitte. O caroneiro desceu e efetuou os disparos.

Em 2012, carro onde estava Marciano Cortelini, 31 anos, Anderson Jeronio dos Santos Jeres, 37, foi alvejado em uma rua do município de Fagundes Varela. Atingido nas costas, Marciano acabou morrendo. Anderson ficou ferido. Segundo informações da polícia, a Brigada Militar foi acionada porque teria ocorrido um acidente com um veículo. Ao chegar para prestar atendimento, policiais constataram que o carro havia sido alvejado.

Um homem foi encontrado ferido gravemente com um golpe de faca no pescoço em julho de 2009, no município de Herveiras. Levado ao hospital, não resistiu aos ferimentos. Durante as investigações, chegou-se até um suspeito, mas ele morrendo afogado logo em seguida, o que, segundo a polícia, complicou a resolução do crime. Além disso, relatos de testemunhas apontaram que a vítima teria provocado o ferimento sozinha. O inquérito acabou sendo arquivado e o caso encerrado como inconclusivo.

O único homicídio registrado na década na cidade de Ipiranga do Sul foi envolto em mentiras. Em novembro de 2013, Elenice Martins Astolfi e Valdir jantavam no Bar Stop, de propriedade do casal, quando, supostamente, dois indivíduos teriam invadido o local e agrediram Valdir. Elenice contou que estava nos fundos do estabelecimento e ouviu os gritos do marido, e ao retornar para o balcão encontrou Valdir caído e com vários ferimentos. Os criminosos teriam fugido. Na ocasião ela contou que correu para pedir ajuda. Porém, ao longo da investigação, ficou provada a farsa de Elenice, que agrediu o marido com golpes de faca e simulou uma cena de um assalto. Ela foi presa e condenada.

Pedro Gabriel dos Santos, 49 anos, foi morto com golpes de machadinha após uma briga na rua com outro homem em uma rua da cidade de Jacutinga, em 2010. Segundo a polícia, testemunhas presenciaram o desentendimento e chamaram a Brigada Militar. No local, Santos foi encontrado caído e ferido gravemente na cabeça, mas morreu. O agressor, de 27 anos, fugiu, mas foi encontrado e levado para a delegacia onde acabou confessando o crime e foi preso. O agressor contou aos policiais que a desavença era antiga entre ele e a vítima.