Porto Alegre

28ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, segunda-feira, 24 de Julho de 2017

  • 28/06/2017
  • 13:36
  • Atualização: 13:59

Governo do RS disponibiliza R$ 3,2 bilhões para Plano Safra 2017-18

Valor supera os R$ 3 bilhões liberados em 2016

Governo disponibiliza R$ 3,2 bilhões para Plano Safra 2017-18 | Foto: Luiz Chaves / Palácio Piratini /CP

Governo disponibiliza R$ 3,2 bilhões para Plano Safra 2017-18 | Foto: Luiz Chaves / Palácio Piratini /CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, anunciou na manhã desta quarta-feira que o governo vai disponibilizar R$ 3,2 bilhões do sistema financeiro estadual - Banrisul, Badesul e BRDE - para o Plano Safra 2017/18. O valor supera os R$ 3 bilhões liberados em 2016 e R$ 2,8 milhões de 2015. O Banrisul vai liberar R$ 2,2 bilhões, R$ 600 milhões virão pelo BRDE e Badesul vai liberar R$ 400 milhões.

Os recursos são linhas de crédito de custeio, comercialização e investimento. Neste ano são abertas linhas de crédito para o desenvolvimento da olivicultura e da pecanicultura (noz pecã). “O Plano Safra 2017-2018 reafirma o nosso compromisso com os produtores rurais. O agronegócio é um pilar da nossa economia e apoiar as nossas cadeias produtivas é reconhecer sua contribuição e importância para a sociedade”, afirmou o governador.

Sartori enfatizou que o Plano Safra  é o Estado atuando como aliado dos pequenos, médios e grandes produtores, das cooperativas e empresas do setor agrícola. “Afinal, todos ganham com a possibilidade de aumentar a produtividade, o uso das tecnologias, de adquirir novos maquinários ou implantar sistemas de irrigação e armazenagem”, apontou.

O Plano Safra tem como finalidade é fomentar o crédito rural para: incremento da produtividade; segurança na produção (irrigação); segurança alimentar (armazenagem); agricultura familiar; agroecologia; aquisição de máquinas e equipamentos agrícolas; inovação tecnológica; recuperação de solos (sustentabilidade ambienta); oliveira e noz pecã; cooperativa e agroindústria; aquisição de animais; redução da emissão de gases de efeito estufa; e comercialização e industrialização.