Correio do Povo

06/12/2017 21:23 - Atualizado em 06/12/2017 22:37

Notícias > Internacional

Oito países pedem reunião urgente do Conselho de Segurança sobre Jerusalém

Status da cidade sagrada deve ser decidida por uma "negociação direta" entre israelenses e palestinos, declarou a ONU

Status da cidade sagrada deve ser decidida por uma "negociação direta" entre israelenses e palestinos, declarou a ONU- Crédito: Musa Al Shaer / AFP / CP
Status da cidade sagrada deve ser decidida por uma "negociação direta" entre israelenses e palestinos, declarou a ONU
Crédito: Musa Al Shaer / AFP / CP

Oito países pediram nesta quarta-feira uma reunião urgente do Conselho de Segurança da ONU depois que os Estados Unidos anunciaram o reconhecimento de Jerusalém como a capital de Israel. "As missões de Bolívia, Egito, França, Itália, Senegal, Suécia, Reino Unido e Uruguai solicitam à presidência" japonesa do Conselho de Segurança "a organização de uma reunião de emergência do Conselho, com um relatório do secretário-geral, antes do fim de semana", anunciou a missão sueca em um comunicado. O status de Jerusalém deve ser decidido por uma "negociação direta" entre israelenses e palestinos, declarou mais cedo o secretário-geral da ONU, António Guterres, reiterando que sempre foi "contra toda medida unilateral". "Não há alternativa à solução de dois Estados" com "Jerusalém como capital de Israel e Palestina", acrescentou o chefe das Nações Unidas depois do anúncio do presidente americano, Donald Trump, de reconhecer unilateralmente Jerusalém como capital do Estado judeu. Na manhã desta quarta-feira, o embaixador boliviano Sacha Soliz destacou que a decisão de Washington é "perigosa e imprudente, contrária à lei internacional e às resoluções do Conselho de Segurança".

INTERNACIONAL > correio@correiodopovo.com.br