Correio do Povo

25/04/2018 19:02 - Atualizado em 25/04/2018 21:45

Notícias > Ensino

Professores do IPA deflagram greve contra atraso de salários

Alunos realizaram protestos cobrando explicações da universidade

Estudantes realizaram protestos contra atraso do salário dos professores- Crédito: Stephanie Ágata Pinheiro / Especial / CP
Estudantes realizaram protestos contra atraso do salário dos professores
Crédito: Stephanie Ágata Pinheiro / Especial / CP

Os professores do Centro Universitário Metodista IPA decidiram deflagrar greve, na noite desta quarta-feira. A manifestação ocorre devido ao atraso de salários, segundo os docentes. A confirmação se deu após assembleia realizada no fim da tarde, quando a categoria se reuniu no Sindicato dos Professores (Sinpro/RS).  Em uma carta aberta, os professores explicaram as motivações da paralisação dentro do IPA. Segundo eles, entre alguns dos problemas enfretados dentro da universidade estão o atraso dos salários, o descumprimento das promessas públicas de regularização salarial; a ausência de diálogo claro com docentes acerca da situação financeira e mudança de currículo feita à revelia dos professores dos cursos. "Reiteramos nosso compromisso ético com a Educação, confiantes no respeito institucional a nossa condição de trabalhadores e educadores que somos. Antes de tudo, estamos engajados na luta pela qualidade da formação oferecida aos nossos estudantes!", diz a nota.  Protesto dos alunos Os alunos de vários cursos da univerisdade realizaram pelo menos três protestos entre a noite de terça-feira e na tarde desta quarta-feira na instituição, a favor da paralisação dos professores. De acordo com a estudante de enfermagem, Stephanie Ágata Pinheiro, que integra a coordenação da comunicação do Diretório Acadêmico da Enfermagem, os docentes estão com atrasos desde fevereiro e estão sem receber benefícios há pelo menos desde setembro, e ao descobrirem sobre a situação, os alunos resolveram protestar. 

“Estamos tentando entender a situação sendo que eles (IPA) alegam que não têm dinheiro, mas estão abrindo curso de Odontologia e contratando funcionários para este curso”, disse a estudante. Conforme ela, os manifestantes estão organizando os protestos pacificamente dentro do IPA e sem bloqueios para os alunos assistirem as aulas. “Muitos estudantes têm estágios, mas optaram por não irem para protestar”, contou. Na noite desta quarta-feira, os estudantes e professores vão se reunir para realizarem mais um ato na universidade.  A reportagem do Correio do Povo entrou em contato com o Centro Universitário Metodista IPA para tentar um posicionamento, mas eles ainda não divulgaram a nota.

ENSINO > correio@correiodopovo.com.br