Correio do Povo | Notícias | Palmeiras goleia o América-MG em casa e fica a uma vitória do título

Porto Alegre, quinta-feira, 20 de Junho de 2019

  • 22/11/2018
  • 00:00
  • Atualização: 00:01

Palmeiras goleia o América-MG em casa e fica a uma vitória do título

Em casa, líder do Brasileirão aplicou 4 a 0 no time mineiro

Palmeiras ganhou de 4 a 0 do América-MG | Foto: Cesar Greco / Palmeiras / CP

Palmeiras ganhou de 4 a 0 do América-MG | Foto: Cesar Greco / Palmeiras / CP

  • Comentários
  • AE

Poderia ter sido o jogo do título, mas o decacampeonato parece ser apenas uma mera questão de tempo. O Palmeiras goleou o América-MG por 4 a 0 no Allianz Parque, na noite desta quarta-feira, pelo Campeonato Brasileiro, e só não foi campeão porque o Flamengo ganhou do Grêmio por 2 a 0, no Rio de Janeiro. Se a combinação não foi suficiente, pelo menos agora o time só precisa do próprio resultado. Uma vitória sobre o Vasco, no domingo, no Rio, já garante a décima taça.

A torcida palmeirense deixou o estádio otimista pela expressiva vitória e pela confiança de que o time tem quase 100% da missão cumprida. Os 39 mil presentes se seguraram para não gritar "campeão" nesta noite e aguardaram em seus assentos o fim do jogo no Maracanã, que terminou minutos depois.

O estopim para a euforia palmeirense veio bem mais cedo, alimentado pelo Beira-Rio e pelo sistema de som do Allianz Parque. O gol da vitória do Atlético-MG por 2 a 1 sobre o Internacional, no Beira-Rio, veio nos acréscimos da partida e a cerca de 20 minutos do apito inicial em São Paulo. A torcida alviverde vibrou na arena. O locutor e o telão do estádio também informaram o resultado favorável.

Naquele momento o elenco do Palmeiras ainda estava em campo, no trabalho de aquecimento. Alguns jogadores até levantaram a cabeça para observar o telão exibir o placar final em Porto Alegre. O time começou a partida, portanto, ciente de que parte do trabalho estava encaminhado. Só restavam outras duas etapas: o Flamengo não vencer e, é claro, o Palmeiras ganhar.

A equipe alviverde tratou logo de buscar a parte que lhe cabia na missão. Dudu chamou para si a responsabilidade de puxar todos os ataques do time. O atacante não era contido pelo América-MG e toda hora surgia livre com a bola nos pés. Veio dele o lance mais claro e mais desesperador para os palmeirenses. O camisa 7 serviu Borja, que estava livre, dentro da área, para se consagrar. O colombiano chutou para fora.

A grande chance perdida não desanimou a ninguém. O intervalo chegou com as partidas empatadas sem gols em São Paulo e no Rio. Depois de um primeiro tempo de 14 finalizações e com o goleiro João Ricardo com destaque, o Palmeiras estava confiante.

O segundo tempo começou ruim no Allianz Parque. O Palmeiras teve um gol anulado por impedimento e logo depois o Flamengo, com Uribe, abriu o placar sobre o Grêmio. Era preciso esquecer o outro jogo da rodada e fazer a sua parte, para não trocar a noite de possível título pelo dissabor de ter a vantagem reduzida.

Finalmente o gol saiu aos 13 minutos. Lucas Lima cruzou e o zagueiro Luan completou. O time ficou mais tranquilo para chegar mais dois gols, ambos com participação de Dudu. Aos 30, ele serviu Willian e depois, aos 32, chutou no ângulo para fazer 3 a 0. Deyverson ainda fez de cabeça o quarto gol.

A torcida foi ao delírio, ao cantar "O deca vem aí" e "seremos campeões". O trabalho na arena foi feito com louvor. A finalização da construção do título pode ser no próximo domingo, em São Januário. O time paulista soma agora 74 pontos, contra 69 do Flamengo. O Inter, com 65, não tem mais chances de título.

Atlético-PR bate o Corinthians

Ainda na noite desta quarta-feira, o Atlético-PR alcançou mais uma vitória em casa e derrotou o Corinthians, por 1 a 0. O artilheiro da noite foi o zagueiro Léo Pereira, que marcou o gol após cobrança de escanteio, no início do segundo tempo.

Com o resultado, o time do Paraná segue forte na briga por uma vaga na Libertadores, agora com 53 pontos – três a menos que o Atlético-MG, na sétima colocação. O Corinthians continua no 12º lugar, virtualmente livre do risco do rebaixamento.