Porto Alegre

16ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 22 de Julho de 2017

  • 01/03/2017
  • 15:44
  • Atualização: 16:06

Vencedor do Oscar, Casey Affleck rebate críticas sobre acusação de assédio sexual

Ele disse que está proibido de falar sobre o assunto e que ninguém que o critica sabe o que aconteceu

Affleck foi eleito o melhor ator na noite de domingo por seu papel em

Affleck foi eleito o melhor ator na noite de domingo por seu papel em "Manchester à Beira-Mar" | Foto: Frazer Harrison / AFP / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

Descanso depois de ganhar um Oscar? Nada disso. Casey Affleck que o diga. Na terça-feira, ele, eleito o melhor ator na premiação mais importante do cinema por seu papel no drama "Manchester à Beira-Mar", já estava no Canadá, onde dirige e atua em um filme independente chamado "Light of My Life". Com uma personalidade fria e monótona, que parece uma reminiscência de seu personagem, em entrevista ao jornal The Boston Globe, ele falou sobre se tornar o segundo integrante de sua família a ganhar um prêmio da Academia. O irmão mais novo de Ben Affleck também comentou a polêmica sobre uma acusação de assédio sexual há sete anos.

"Parece uma loucura... Deve ser bom para a mamãe", disse o artista de 41 em sua primeira entrevista desde que ganhou a estatueta dourada. "Estou muito orgulhoso de todas as coisas que Ben fez e incrivelmente orgulhoso do fato de a Academia ter me honrado dessa maneira". No entanto, nem todo mundo está feliz pela vitória. Nas semanas que antecederam a cerimônia de domingo, ele foi perseguido na imprensa e pela internet por alegações de assédio sexual decorrentes de um processo de 2010, arquivado por duas mulheres que trabalharam com ele no filme "I'm Still Here". Affleck negou veementemente as acusações, e o processo foi resolvido fora do tribunal, em um acordo extrajudicial.

Perguntado sobre essas reações e o que aconteceu, Affleck fez uma pausa e suspirou pesadamente. Ele disse que ambos os lados no caso são proibidos de comentar sobre o assunto e que nenhuma das pessoas que o estão condenando online sabe o que aconteceu. Mas, acrescentou, "eu acredito que qualquer tipo de maus tratos de qualquer pessoa por qualquer motivo é inaceitável e abominável, e todos merecem ser tratados com respeito no local de trabalho e em qualquer outro lugar".

"Realmente não há nada que eu possa fazer sobre isso além de viver a minha vida do jeito que eu sei que vivo, expressar meus próprios valores e como eu tento viver com eles o tempo todo." O irmão Ben - que ganhou o Oscar de melhor filme com "Argo" em 2012 e compartilhou com Matt Damon o Prêmio da Academia de melhor roteiro original de "Gênio Indomável" em 1997 - foi o primeiro a felicitar Affleck no domingo à noite, abraçando-o.

"Manchester by the Sea", escrito e dirigido por Kenneth Lonergan, seria dirigido por Matt Damon, com John Krasinski interpretando o personagem principal. Mas conflitos de programação forçaram Damon a sair, de modo que Lonergan dirigiu, e Casey assumiu o papel de Lee Chandler, um trabalhador manual que tem que voltar para casa depois que seu irmão morre. "Eu ofereci muitos trabalhos a Casey ao longo dos anos, mas ele é difícil", disse Chris Moore, um dos produtores do longa. "Ele tem um padrão realmente alto para o que ele quer fazer. Felizmente, ele quis fazer esse filme".

Crescido à sombra de Ben, Casey nunca gostou do estrelato e sempre preferiu se manter anônimo em Hollywood.No entanto, ele já havia sido indicado a melhor ator coadjuvante há uma década, por seu papel em "O assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford". Os Afflecks, que cresceram indo ao cinema no Off The Wall Cinema na Praça Central de Boston, são um dos dois únicos pares de irmãos a ganhar prêmios da Academia em diferentes categorias. Junto com eles, James Goldman ganhou por roteiro adaptado em 1968, e no ano seguinte, William Goldman venceu na disputa de roteiro original.