Porto Alegre

20ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 22 de Abril de 2018

  • 14/03/2018
  • 15:47
  • Atualização: 19:20

Hohlfeldt pretende dobrar número de associados do Theatro São Pedro

Novo presidente da Fundação TSP revelou lançamento de nova campanha no dia 27, quando ocorrerá posse oficial

Hohlfeldt foi confirmado nesta quarta como novo presidente da instituição | Foto: Mateus Bruxel / CP Memória

Hohlfeldt foi confirmado nesta quarta como novo presidente da instituição | Foto: Mateus Bruxel / CP Memória

  • Comentários
  • Luiz Gonzaga Lopes

Pouco tempo depois de ser confirmado à frente da presidência da Fundação do Theatro São Pedro, Antonio Hohlfeldt conversou com a reportagem do Correio do Povo nesta quarta-feira. Ele destacou que o ato formal de posse será no dia 27 de março, o Dia Internacional do Teatro, no Palácio e depois no próprio teatro, quando o governador José Ivo Sartori e o secretário de Cultura, Turismo, Esporte e Lazer, Victor Hugo, serão os primeiros novos associados de uma campanha de busca de novos sócios para a instituição.“Pelo que apurei, são pouco mais de mil sócios e pretendemos mais mil sócios até o final do ano. Se a gente fizer uma abordagem mais direita, podemos dobrar este número. Não é isto que vai salvar o teatro, mas isto ajuda a pagar o pessoal e em uma série de despesas”, revelou.

Hohlfedl afirmou que o objetivo é manter o mesmo empenho e a equipe da gestão de Eva Sopher, mas aproximar cada vez mais o Theatro São Pedro do público, dos empresários, da comunidade. "Algumas pessoas já me pararam na rua e mostraram aprovação, mas eu digo que o popular não sou eu, é o teatro. As pessoas são interessadas pelo teatro. Quero tentar utilizar esta imagem positiva que o teatro tem para um apoio mais decisivo ao São Pedro", ressaltou.

O novo dirigente da instituição lembra que existem dois caminhos para impulsionar o teatro. “Você trabalha com grandes verbas ou em uma campanha pequena, na qual cada um faz uma parte, que é típica da cultura europeia ou norte-americana. As pessoas se sentem responsáveis pela coisas da sua cidade. Cada um vai dar 50 ou 100 reais, mas sabe que a contribuição é dele. Este é um ato de cidadania, é um ato de consciência política. Não precisamos fazer coisas novas. Podemos mudar estratégias”, salienta.

O destaque dele vai para a equipe do teatro. Segundo Hohlfeldt, as pessoas que trabalham ali há muito tempo, não estão pelo emprego, mas trabalham com dedicação e carinho pelo São Pedro. A articulação com empresários e também com a classe política é outra das estratégias iniciais de Hohlfeldt para a conclusão das obras do Multipalco. “Já conversei com dois empresários, que me parabenizaram pela nomeação. Eles disseram que ainda não haviam apoiado. Vamos atrás deste tipo de empresário. Também vou visitar os deputados. O Theatro São Pedro não é uma questão partidária, não é uma disputa política. Não é do governo e eu sou oposição. Vou precisar do apoio deles para trabalhar junto com o Banrisul. Já tenho um encontro com o líder da bancada do MDB na Assembleia, Gabriel de Souza. Não vamos deixar parar o movimento que a Eva mantinha com rédea firme”, explica.