Correio do Povo | Notícias | Lágrimas, homenagens e protestos marcam os seis anos da tragédia da boate Kiss

Porto Alegre, quinta-feira, 18 de Julho de 2019

  • 27/01/2019
  • 14:03
  • Atualização: 19:23

Lágrimas, homenagens e protestos marcam os seis anos da tragédia da boate Kiss

Incêndio em Santa Maria matou 242 pessoas e deixou mais de 600 feridas

Em frente ao local, houve uma vigília | Foto: Renato Oliveira / Especial / CP

Em frente ao local, houve uma vigília | Foto: Renato Oliveira / Especial / CP

  • Comentários
  • Renato Oliveira

Seis anos após a tragédia da Boate Kiss, que matou 242 pessoas e deixou mais de 600 feridas, a dor e o sofrimento das vítimas e dos parentes e amigos daqueles que perderam a vida não cessaram ou diminuíram. Uma programação para marcar a data iniciou-se ontem e teve sequência durante a madrugada deste domingo e que será encerrada na parte da noite. Ontem, no auditório da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), foi aberto um seminário sobre prevenção de tragédias.

Na parte da noite, uma caminhada saiu da tenda da Kiss, localizada ao lado da praça Saldanha Marinho, até o prédio onde funcionava a casa noturna. Uma cavalgada que saiu na quinta feira do município de São Gabriel participou da programação. Os integrantes da cavalgada estavam com faixas com fotos das vítimas e dizeres pedindo agilidade da justiça na punição dos culpados.

Em frente à casa noturna, localizada na Rua dos Andradas, centro da cidade, ocorreram orações e palmas. Fazendo parte da programação haverá durante o domingo a sequência do seminário na UFSM e apresentação do projeto de reestruturação da tenda da Kiss no calçadão, local de reunião dos familiares e amigos das vítimas da tragédia, e um culto ecumênico.