Correio do Povo | Notícias | Acidente com avião da II Guerra Mundial deixa 20 mortos na Suíça

Porto Alegre, terça-feira, 25 de Junho de 2019

  • 05/08/2018
  • 10:05
  • Atualização: 11:13

Acidente com avião da II Guerra Mundial deixa 20 mortos na Suíça

Aeronave colidiu contra uma montanha no sábado

Aeronave Junker JU52 HB-HOT colidiu contra montanha Piz Segnas | Foto: Fabrice Coffrini / AFP / CP

Aeronave Junker JU52 HB-HOT colidiu contra montanha Piz Segnas | Foto: Fabrice Coffrini / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

Vinte passageiros morreram na queda de um avião militar da II Guerra Mundial no sábado à tarde, na Suiça. i"A polícia tem a triste certeza de que os 20 passageiros morreram", afirmou a porta-voz da polícia de Grisons Anita Senti em uma entrevista coletiva organizada em Flims, perto do Piz Segnas, uma montanha de 3 mil metros. A aeronave Junker JU52 HB-HOT, construída na Alemanha em 1939 e agora uma peça de colecionador, colidiu com a montanha Piz Segnas no sábado.

O avião, um trimotor, pertencia à empresa JU-Air, criada em 1982 por um grupo de amigos da Força Aérea. No momento do acidente, o avião tinha todos os assentos ocupados: 17 para passageiros e três para membros da tripulação. A bordo viajavam 11 homens e nove mulheres, incluindo um casal austríaco e seu filho, informou a polícia. A aeronave bateu contra o lado oeste do pico Piz Segnas, nos Alpes, a uma altura de 2.540 metros, no cantão suíço de Grisons, na região leste do país.

Cinco helicópteros participam nas operações de busca desde sábado. "Não há mais esperança de encontrar alguém com vida", declarou Andreas Tobler, chefe da polícia de Grisons. Kurt Waldmeier, presidente da empresa JU-Air, afirmou aos jornalistas que o avião não tinha nenhum problema técnico e que em julho passou por uma inspeção de manutenção.

De acordo com a imprensa suíça, os passageiros retornavam de uma viagem turístico a Locarno, sul do país, onde haviam desembarcado na manhã de sexta-feira. O pouso estava previsto para 17h de sábado (12hde Brasília), no aeroporto militar de Dubendorf, perto de Zurique. O jornal 20 Minutes cita uma testemunha que estava em um refúgio da montanha no momento do acidente. "O avião deu um giro de 180 graus para o sul e caiu como uma pedra no chão", disse a testemunha. De acordo com a fonte, os destroços estão em uma área muito reduzida, o que descartaria a hipótese de explosão.

Em seu site, a empresa JU-Air informa que tem quatro aeronaves Junker de 1939 e que transportou mais de 14 mil passageiros em 2014 em voos charter ou em batismos aéreos. Seus pilotos são ex-militares e pilotos profissionais, todos voluntários. A empresa cita apenas um acidente, em 1987, em um aeroporto da Alemanha e que não teria deixado vítimas. Este tipo de avião não tem caixa-preta. A investigação terá como base os depoimentos de testemunhas e a análise dos destroços.

O Junckers JU52 era um avião de transporte fabricado pela empresa alemã Junckers de 1930 até os anos 1950. Foi utilizado por várias companhias aéreas, assim como pela aviação militar, para o transporte ou bombardeio durante a Segunda Guerra Mundial.