Correio do Povo | Notícias | Delegado retorna de férias e reassume investigação em Novo Hamburgo

Porto Alegre, domingo, 16 de Junho de 2019

  • 09/01/2018
  • 13:55
  • Atualização: 17:50

Delegado retorna de férias e reassume investigação em Novo Hamburgo

Polícia aguarda uma série de laudos periciais do caso das crianças esquartejadas

Templo onde possível ritual macabro teria ocorrido | Foto: Alina Souza / CP Memória

Templo onde possível ritual macabro teria ocorrido | Foto: Alina Souza / CP Memória

  • Comentários
  • Correio do Povo

Um dia antes do previsto, o delegado Rogério Baggio reassumiu as investigações do caso das duas crianças esquartejadas em possível ritual macabro. Baggio voltaria de férias na quarta-feira, contudo antecipou o retorno por "precaução", para analisar o inquérito. "Diante de tudo que está acontecendo, voltei antes", disse Baggio.

O retorno dele ocorre um dia após o delegado Moacir Fermino - que assumiu as investigações na ausência de Baggio - ressaltar, em entrevista coletiva à imprensa, que chegou a relação entre os corpos das crianças e o ritual macabro devido à uma "revelação divina". Após a afirmação, a cúpula da Polícia Civil se reuniu e decidiu manter inalterada a investigação.

A previsão é de que o documento que detalha as investigações seja entregue dez dias após as prisões. Como o "bruxo", um dos encomendadores do possível ritual e seu filho foram detidos em 27 de dezembro, o prazo já encerrou. Baggio não sabe se Fermino já pediu a renovação do prazo. "Caso não tenha feito, protocolarei o pedido no início da manhã de quarta", destacou.

Para concluir o inquérito, a equipe da 2ª Delegacia de Homícidios, em Novo Hamburgo, aguarda uma série de laudos periciais dos exames realizados nos restos mortais das crianças ainda não identificadas e também no material coletado no templo do líder da seita satânica que fica em Gravataí, como uma capa e uma máscara de cachorro, que o "bruxo" teria utilizado durante o possível ritual de sacrifício. Sete suspeitos são investigados, sendo que quatro estão presos.Outros três encontram-se foragidos, um dos quais um argentino que teria traficado os irmãos.